Tamanho do texto

A voadora do são-paulino que não deu certo foi em 2003, na semifinal da Sul-Americana, contra o River Plate. Na ocasião, jogadores dos dois times brigaram após o duelo

Confirmado de volta no time titular do São Paulo - ainda não se sabe no lugar de quem -, Luis Fabiano não pretende repetir as voadoras que Aloísio vem dando para comemorar gols. Nesta terça-feira, véspera da partida contra o Atlético Nacional (Colômbia), o camisa 9 lembrou que, com ele, o golpe não costuma ser de brincadeira. "Já dei voadora, e não deu certo. É melhor não arriscar", disse, rindo.

Luis Fabiano acerta voadora nas costas de um jogador do River Plate, em 2003
Arquivo iG
Luis Fabiano acerta voadora nas costas de um jogador do River Plate, em 2003

A voadora que não deu certo foi em 2003, na semifinal da Copa Sul-Americana , contra o River Plate. Em meio a uma pancadaria nos acréscimos da vitória por 2 a 0 (no tempo regulamentar), o atacante, então aos 23 anos, saltou e acertou a chuteira nas costas de Almada, sendo expulso juntamente com Jean. Pelo lado argentino, o árbitro Jorge Larrionda tirou Barrado e também Pereyra.

Quase salvo no Brasileirão, São Paulo deve priorizar a Copa Sul-Americana

Na disputa por pênaltis, Luis Fabiano e Jean foram substituídos na relação do técnico Roberto Rojas por Souza e Lugano, os dois jogadores que acabaram desperdiçando as cobranças na derrota por 4 a 2. "Não estou arrependido. Eles provocaram, deram porrada primeiro, e isso não pode acontecer dentro do Morumbi. Você ia deixar um cara entrar na sua casa para te bater?", disse o centroavante, na época.

Dez anos depois, intercalados por passagens por outras equipes, Luis Fabiano não tem tido comportamento muito menos explosivo em seu retorno ao São Paulo, em especial no trato com a arbitragem. Mas, entre ausências por cartões e lesões, ele se esforça para afastar a imagem de polêmico ou pouco decisivo, enquanto Aloísio curte a boa fase com gols e voadoras.

Confira o chaveamento e os próximos jogos da Copa Sul-Americana

"Futebol é muito imediatista, é o que se está fazendo hoje. Não tem muita memória no futebol", defende-se. "Eu me sinto bem, feliz, acho que o torcedor ainda tem carinho por mim. Só que, é claro, o momento vivido atualmente pelo Aloísio é muito especial. Ele vem fazendo gol. Mas, neste ponto, estou tranquilo. Tenho minha história aqui, e ninguém pode tirar isso de mim".

Desfalque de Toloi é única novidade antecipada por Muricy

A única novidade confirmada na escalação do São Paulo para a partida de quarta-feira, contra o Atlético Nacional, é a ausência de Rafael Toloi. O zagueiro sentiu dores no tornozelo direito e não participou do treino fechado que definiu o time, na manhã desta terça, no CT da Barra Funda.

Vetado pelo departamento médico, o defensor se junta a Paulo Henrique Ganso na lista de baixas para o duelo, válido pelas quartas de final da Copa Sul-americana, no Morumbi. O meia não vai a campo por ter sido expulso na vitória sobre a Universidad Católica, no Chile, na semana passada.

O substituto de Ganso dificilmente não será Jadson. Já a vaga na defesa pode ser preenchida pelo recuo de Rodrigo Caio ou pela simples entrada de Antônio Carlos, que se recuperou de estiramento muscular e será ao menos relacionado novamente, depois de ter ficado fora dos últimos seis jogos.

Quem tem retorno confirmado é Luis Fabiano. Desfalque também de longa data, o atacante se livrou de dores na coxa esquerda. Como o apronto não foi aberto para a imprensa, no entanto, não foi possível saber quem deixa a equipe. Nem mesmo perguntando ao próprio camisa 9. "Eu não sei. Só sei que eu estou escalado", disse o artilheiro, rindo.

O confronto com o Nacional está marcado para 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, no Morumbi

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.