Tamanho do texto

Em dia festivo com camisa comemorativa e 35 mil torcedores no Pacaembu, equipe não passa do 0 a 0 com o São Caetano, mas garante acesso antecipado

Torcedor do Palmeiras comemora retorno do time à Série A do Campeonato Brasileiro
Gazeta Press
Torcedor do Palmeiras comemora retorno do time à Série A do Campeonato Brasileiro

Foram 338 dias, 8.112 horas e 486.720 minutos de espera. E a agonia do Palmeiras terminou. Diante de mais de 35 mil torcedores, o clube alviverde empatou com o São Caetano por 0 a 0, neste sábado, no Pacaembu, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B, e garantiu o seu retorno à elite do futebol brasileiro.

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

Exatos 11 meses e oito dias depois da partida contra o Flamengo, em Volta Redonda, que marcou o segundo rebaixamento na história do Palmeiras, a equipe se reergueu e, como o técnico Gilson Kleina gosta de falar, resgatou o orgulho e o sorriso do torcedor palmeirense nesta tarde.

Confira a tabela de classificação da Série B do Campeonato Brasileiro

Com nove pontos de vantagem para o segundo colocado, a Chapecoense, o Palmeiras está cada vez mais próximo de conquistar o título da competição. Se manter o mesmo desempenho que vem apresentando durante a temporada, o time tem chances de superar o aproveitamento do rival Corinthians em 2008, quando terminou a Série B com a melhor campanha da história do torneio em pontos corridos.

O acesso já está garantido, mas o Palmeiras ainda terá mais seis rodadas antes do ano terminar. Na próxima rodada, os comandados de Gilson Kleina enfrentará o Paraná, às 16h20 (de Brasília), no próximo sábado, fora de casa.

O JOGO

Antes de a bola rolar, a diretoria do Palmeiras promoveu o encontro de ídolos da história do grupo com os titulares no Pacaembu. Vestidos com a camisa comemorativa amarela, em alusão ao ano de 1965 quando o clube representou a seleção brasileira, ex-atletas e jogadores trocaram camisas no centro do gramado. Ademir da Guia foi uma dos homenageados pelo presidente Paulo Nobre, que homenageou o ex-camisa10 com uma placa e o reverenciou de joelhos no gramado.

A bola rolou e o Palmeiras tinha nos 90 minutos a chance de voltar à divisão de elite. Para conquistar o resultado positivo, Gilson Kleina escalou a equipe no esquema 4-3-3, com Vinícius e Ananias no ataque ao lado de Alan Kardec. O zagueiro Vilson, com uma tendinite no joelho esquerdo, o atacante Leandro, suspenso, não jogaram.

O Palmeiras bem que poderia ter marcado no primeiro tempo. A primeira oportunidade surgiu aos 26 minutos, quando Vinicius invadiu a área, dividiu a bola com Fabinho e caiu no gramado pedindo pênalti. Com a certeza de que o árbitro Wilson Luiz Seneme, o meia Valdivia, que tinha bom posicionamento para arriscar o chute, preferiu apenas reclamar com a arbitragem.


Na segunda chance, aos 36, depois de confusão dentro da área, Ananias ficou com a sobra e foi travado no momento do chute. O rebote caiu nos pés do zagueiro Henrique, que olhou para a meta e conseguiu mandar a bola por cima do travessão.

Dois minutos depois, Alan Kardec caiu dentro da área e o árbitro apitou o pênalti. O juiz, no entanto, conversou com o assistente e decidiu voltar atrás da decisão. O lance provocou a reclamação dos jogadores do Palmeiras e partida ficou parada por cerca de cinco minutos.

Na volta para o intervalo, o técnico Pintado foi quem realizou a primeira alteração na partida ao colocar Jardel no lugar de Anselmo, ainda no intervalo. E o adversário que foi sufocado na primeira etapa, resolveu dar trabalho ao Palmeiras. O São Caetano assustou com Éder e Geovane, mas parou em tarde inspirada do goleiro Fernando Prass.

Porém, não era só o goleiro do Palmeiras que estava bem na partida. Rafael Santos, revelado pelo rival Corinthians, também pareceu para parar o ataque do adversário. Salvou o São Caetano em bons chutes de Alan Kardec, aos 9 minutos, e André Luiz, aos 14.

O gol não saiu, mas o empate que já garantia o Palmeiras na Série A do Campeonato Brasileiro, também contou com a contribuição dos concorrentes. Aos 41 minutos de partida, o time do Palestra Itália já estava garantido na elite com a derrota do Paraná por 1 a 0 para o Joinville.


FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 0 SÃO CAETANO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 26 de outubro de 2013, sábado
Hora: 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Assistentes : Carlos Augusto Nogueira Junior (SP) e Anderson José de Moraes Coelho (SP)
Renda: R$ 1.221.630,00
Público: 33.748 pagantes
Cartões amarelos:Luis Felipe (Palmeiras); Bruno Aguiar, Anselmo e Samuel Xavier (São Caetano)

PALMEIRAS : Fernando Prass; Luis Felipe (Felipe Menezes) André Luiz, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Wesley e Valdivia; Ananias (Ronny), Vinicius (Serginho) e Alan Kardec
Técnico:Gilson Kleina

SÃO CAETANO: Rafael; Samuel Xavier, Bruno Aguiar, Luiz Eduardo e Fernandinho; Fabinho (Gabriel), Jardel (Anselmo), Wagner Carioca e Eder; Marcelo e Cassiano (Geovane)
Técnico: Pintado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.