Tamanho do texto

Com defesas importantes, goleiro tem desempenho decisivo no Chile para a classificação do São Paulo na Copa Sul-Americana

Encerrada a vitória por 4 a 3 sobre a Universidad Católica nesta quarta-feira, Rogério Ceni abraçou um a um seus companheiros com largo sorriso. Apesar dos três gols sofridos - um deles defensável, segundo ele próprio -, o goleiro do São Paulo foi o grande nome da partida em Santiago, com decisivas defesas nas duas etapas.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Uma atuação de gala que aumenta as dúvidas a respeito de sua aposentadoria, a qual ele vinha dando a entender anteriormente que seria em dezembro, ao término do contrato vigente. "Estou contente que, depois de velho para o mundo do futebol, eu ainda receba tanto carinho", desconversou inicialmente o jogador de 40 anos, em entrevista à FOX Sports .

"Ainda bem que, no fim da carreira, tenho conseguido jogar em bom nível para as pessoas que torcem pela gente. Vai ser feito o que for melhor para todo mundo. O São Paulo tem ótimos goleiros. Se eu for embora, o Denis está preparadíssimo, faz tudo o que eu faço. Foram anos de convivência, trabalha com os pés tão bem quanto eu...", falou.

Quanto à partida, além da alegria pela classificação às quartas de final da Copa Sul-americana, o camisa 1 ficou satisfeito pelo espetáculo em si apresentado pelas duas equipes.

"O Muricy (Ramalho, treinador) decidiu colocar o melhor que ele vê no São Paulo, e foi um jogaço. Um jogo com dez oportunidades de gol para cada lado, com sete gols, não é um jogo comum. O torcedor que assistiu saiu satisfeito", avaliou o goleiro, sem dar nota máxima para sua atuação.

"Fiz boas defesas. Mas, no primeiro gol, confesso que um cara (na arquibancada) apitou, e eu fui para bola convicto de que o lance já tinha sido parado. Faltou prestar atenção até o final. Talvez desse para ter defendido. Mas teve outras boas desesas, e todo mundo batalhou", concluiu.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.