Tamanho do texto

Equipe de Muricy Ramalho conquistou a sua terceira vitória em quatro partidas, chegou aos 37 pontos e se distanciou da zona da degola do Brasileirão

Jogadores do São Paulo comemoram gol de Ganso no Morumbi
Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta Press
Jogadores do São Paulo comemoram gol de Ganso no Morumbi

O São Paulo deu mais um passo importante na noite desta quarta-feira para se livrar do rebaixamento ao ganhar a terceira partida em quatro jogos. Depois de empatar com o Corinthians, o time de Muricy Ramalho recebeu o Náutico , no Morumbi, e transformou o último colocado do Campeonato Brasileiro em uma presa fácil para vencer por 3 a 0.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Além de ter balançado a rede duas vezes na partida (gols do atacante Ademilson, Paulo Henrique Ganso e Welliton), a equipe paulista praticamente não foi ameaçada. O goleiro Rogério Ceni, que desperdiçou um pênalti nos minutos finais do clássico de domingo, desta vez até chapéu deu.

Confira a classificação, notícias, tabela de jogos e artilharia do Brasileirão

Veja fotos dos jogos desta rodada

O resultado leva o São Paulo a 37 pontos, cinco acima da zona de descenso - a diferença pode cair na quinta-feira, quando o Vasco entra em campo. Já o Náutico, treinado por Marcelo Martelotte, permanece com 17 pontos, na última posição da tabela, reafirma a condição de candidato a rebaixado para a segunda divisão nacional.

Em situações opostas, os dois times voltam a campo no fim de semana. No domingo, o São Paulo visita o Bahia, em Salvador. Um dia antes, o Náutico recebe o Santos, em Pernambuco.

O jogo

Sem o zagueiro Paulo Miranda e o lateral Douglas, ambos suspensos, o técnico Muricy Ramalho armou o São Paulo com Rafael Toloi pelo lado direito, dando-lhe liberdade para subir ao ataque quando o time tinha a bola. Assim, Jadson voltou ao banco de reservas, tendo em conta o retorno do meia Paulo Henrique Ganso e do volante Wellington após suspensão.

A formação se encaixou bem, mas somente depois de um susto inicial aos dois minutos, quando o Náutico testou a zaga adversária em um rápido contragolpe. O venezuelano Angelo Peña recebeu bom passe na meia direita, invadiu a área e bateu rasteiro, mas a bola parou no pé direito do goleiro Rogério Ceni.

Aloísio arrisca chute ao gol do Náutico
FERNANDO DANTAS / Gazeta Press
Aloísio arrisca chute ao gol do Náutico

Depois disso, praticamente só deu São Paulo. Logo aos quatro minutos, Ademilson teve espaço suficiente para carregar a bola pela linha da área e buscar o canto direito de Ricardo Berna. Um desvio no meio do caminho mudou a direção do arremate, e o goleiro quase foi enganado, mas se recuperou a tempo de espalmar a bola para o lado e impedir a abertura do placar.

Seu companheiro de ataque, o esforçado Aloísio, teve outra boa oportunidade na sequência, mas exagerou na tentativa de embelezar o lance. Após deixar um primeiro marcador no chão, ele tentou enganar mais um e acabou chutando a bola em cima dele. A demora do centroavante para bater a gol fez com que a torcida chiasse pela primeira vez.

E não foi a última. Aos 21 minutos, o substituto do lesionado Luis Fabiano recebeu ótimo cruzamento de Reinaldo pela esquerda e, mesmo livre de marcação, cabeceou a bola por cima do travessão, desperdiçando outra grande chance de vazar o Náutico, que não oferecia qualquer perigo ofensivo.

Mas, diferentemente do que ocorreu no clássico contra o Corinthians, desta vez o domínio são-paulino se converteu em gol. Ganso deu um belo passe de calcanhar para Aloísio, dentro da área, e a defesa fez um corte parcial, mas bola caiu nos pés de Ademilson. De frente para o gol, o atacante tocou de primeira e balançou a rede.

Antes do intervalo, empolgada pelo triunfo parcial, a torcida tricolor - presente em pequeno número na chuvosa noite desta quarta-feira - ainda comemorou como gol um chapéu aplicado por Rogério Ceni no ex-palmeirense Maikon Leite, depois de um perigoso recuo de Edson Silva.

No segundo tempo, o Náutico até se arriscou um pouco mais inicialmente, porém acabou facilitando o trabalho para o time da casa, que anotou o segundo gol aos 20 minutos. Um golaço, por sinal. Ganso invadiu a área, passou por três marcadores e bateu no canto direito de Ricardo Berna. A bola ainda tocou a trave antes de entrar.

A vantagem deu tranquilidade para Muricy começar a mexer. E a primeira substituição teve efeito imediato. Aos 28 minutos, logo depois de entrar no lugar de Aloísio, Welliton foi acionado dentro da área e, de primeira, chutou no canto direito alto para marcar o terceiro gol e decretar a vitória do São Paulo. Vitória da qual até Fabrício e Jadson, em baixa altuamente com Muricy, participaram.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 0 NÁUTICO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 16 de outubro de 2013 (quarta-feira)
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha
Assistentes: Neuza Ines Back e João Patrício de Araújo
Público: 14.942 pagantes
Renda: R$ 159.515,00
Cartões amarelos: Denilson e Rodrigo Caio (São Paulo); Peña e Tiago Real (Náutico)

Gols: SÃO PAULO: Ademilson, aos 30 minutos do primeiro tempo; Ganso, aos 20, e Welliton, aos 28 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rafael Toloi, Rodrigo Caio, Edson Silva e Reinaldo; Denilson (Fabrício), Wellington, Maicon e Ganso (Jadson); Ademilson e Aloísio (Welliton)
Técnico: Muricy Ramalho

NÁUTICO: Ricardo Berna; Dadá (Auremir), Alison, William Alves e Bruno Collaço; Derley (Diego), Elicarlos, Martinez e Tiago Real; Maikon Leite e Peña (Jones Carioca)
Técnico: Marcelo Martelotte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.