Tamanho do texto

Torcedores são-paulinos brigaram entre eles e com a PM e presidente do Corinthians cobrou de tribunal a mesma punição dada ao seu clube

O presidente do Corinthians , Mário Gobbi, aproveitou a briga entre torcedores organizados do São Paulo e policiais militares, no intervalo do clássico deste domingo, nas arquibancadas do Morumbi, para desabafar contra o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Irritado com as punições sofridas por seu clube, o presidente do Corinthians cobrou o mesmo rigor contra o rival. O Corinthians perdeu quatro mandos de campo por briga de seus torcedores contra vascaínos em Brasília durante partida do Brasileirão em agosto. 

Torcedores do São Paulo enfrentam os policiais na arquibancada do Morumbi
Miguel Schincariol/Gazeta Press
Torcedores do São Paulo enfrentam os policiais na arquibancada do Morumbi

"Só as brigas do Corinthians dão processos. Das outras, ninguém fala nada. Parece a casa da mãe Joana. Uma semana antes de a gente jogar em Brasília, houve um clássico lá que deixou pessoas na UTI até hoje. Não fizeram nem processo. Esse Paulo Schmitt ( procurador do STJD ) está de mais. Vou contratá-lo para trabalhar no Corinthians", ironizou Gobbi, irritado.

Em seu sarcasmo contra Schmitt, o mandatário corintiano se referiu ao confronto entre torcedores de São Paulo e Flamengo diante do Mané Garrincha. A punição pelo incidente foi direcionada apenas a uma torcida organizada. Na semana seguinte, seguidores de Corinthians e Vasco entraram em conflito nas arquibancadas da arena, e a consequência foi o STJD obrigar o time paulista a atuar fora da cidade de São Paulo na condição de mandante.

Desde então, o Corinthians já venceu o Bahia e empatou com o Atlético-PR em Mogi Mirim. O jogo contra o Criciúma, no dia 19, será em Itu. O time só poderá voltar a mandar uma partida no Pacaembu diante do Fluminense, em 10 de novembro, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na Copa do Brasil, no entanto, o departamento jurídico corintiano reverteu a impossibilidade de atuar na capital em dois jogos, que havia sido imposta pelo STJD em função de sinalizadores acesos na derrota por 1 a 0 para o Luverdense, fora de casa.

Neste domingo, o tumulto entre são-paulinos e policiais iniciou após as explosões de bombas na arquibancada, no intervalo do Majestoso. Em menor número no Morumbi, a torcida do Corinthians ironizou o entrevero - além de chamar os rivais (que faziam o mesmo) para briga.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.