Tamanho do texto

Uefa anunciou que gritos racistas durante vitória sobre Légia Varsóvia fará clube italiano jogar com portões fechados contra o Apollon Limassol pela quarta rodada do torneio

Curva Nord, parte da torcida da Lazio
Reprodução
Curva Nord, parte da torcida da Lazio

Com grupos ligados à extrema direita, a torcida da Lazio mais uma vez trouxe prejuízos para a equipe dentro de campo. Nesta sexta-feira, a Uefa anunciou que, devido a gritos racistas durante a vitória por 1 a 0 sobre o Légia Varsóvia na estreia do grupo J da Liga Europa, o clube italiano terá de jogar com portões fechados contra o Apollon Limassol pela quarta rodada.

Além dos cânticos preconceituosos, os biancocelesti também utilizaram fogos de artifício e levaram faixas irregulares de acordo com a entidade. Somado a isso, a equipe treinada por Vladimir Petkovic ainda atrasou o início do confronto com os poloneses, gerando uma multa de 40 mil euros (cerca de R$ 120 mil).

A diretoria da Lazio tem três dias para entrar com recurso junto aos tribunais da Uefa para evitar a punição. Caso não consiga alterar a decisão, o clube de Roma terá as arquibancadas do estádio Olímpico vazias no dia 7 de novembro diante do Apollon Limassol.

Na última quinta-feira, a Lazio entrou em campo pela segunda rodada da Liga Europa e conseguiu arrancar empate suado do Trabzonspor na Turquia. Os donos da casa chegaram a abrir 3 a 1 no placar, mas Floccari mostrou faro de artilheiro para deixar tudo igual e manter os italianos invictos na competição continental.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.