Tamanho do texto

Hoje no comando do São Paulo, técnico retorna ao estádio quatro meses após ter sido demitido do clube

Muricy Ramalho: no comando do São Paulo, treinador reencontrou a Vila Belmiro
Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta Press
Muricy Ramalho: no comando do São Paulo, treinador reencontrou a Vila Belmiro

Quatro meses depois de ter deixado a Vila Belmiro, Muricy Ramalho voltou ao estádio nesta quarta-feira sentindo-se como se ainda trabalhasse no Santos . Antes do início do clássico, o agora treinador do São Paulo dirigiu-se ao banco de reservas mandante e só se deu conta do engano quando já ia se sentando.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Confundi mesmo, não é piada. Estava acostumado, fui sozinho. Foi muito estranho", disse, negando espontaneamente que a atitude fosse um jogo de cena para reiterar sua identificação com o clube no qual trabalhou entre abril de 2011 ao fim de maio deste ano.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Campeonato Brasileiro

Confira imagens dos jogos da 25ª rodada

"Não faço tipo. Foi muito estranho o que fiz ali. É que fui muito feliz aqui. Muito feliz mesmo. Sou muito grato ao Santos e à torcida do Santos. Foi um dos melhores lugares em que trabalhei. Por isso fui sentar no banco ali", explicou, já devidamente acomodado no local correto.

Pelo Santos, Muricy foi campeão paulista e da Libertadores, além de tê-lo levado ao vice-mundial e ao título da Recopa Sul-Americana. Foram 150 jogos ao todo no comando da equipe, com 72 vitórias, 42 empates e 36 derrotas.

Demitido do clube logo após a transferência de Neymar para o Barcelona, ele passou mais de três meses sem emprego até ser convidado para substituir Paulo Autuori no São Paulo (onde se sagrou tricampeão brasileiro) e tentar salvar o time do rebaixamento.

O resultado da partida desta quarta-feira, no entanto, não foi bom para o treinador. Mesmo com um jogador a mais desde o fim do primeiro tempo, o São Paulo foi derrotado por 3 a 0 (com dois gols na etapa final) e corre o risco de terminar a rodada entre os quatro últimos colocados.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.