Tamanho do texto

Sequência de três vitória no Brasileirão foi interrompida pela goleada por 4 a 0 sofrida diante do Cruzeiro no Mineirão

Bruno Henrique escapa do carrinho e conduz a bola pela Portuguesa
Yuri Edmundo/Gazeta Press
Bruno Henrique escapa do carrinho e conduz a bola pela Portuguesa

Na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, a Portuguesa vinha de uma sequência de três vitórias, sendo a última uma goleada por 4 a 0 sobre o Corinthians. Nesta quarta-feira, porém, o embalo não foi o suficiente, e o time foi atropelado por 4 a 0 pelo líder Cruzeiro no Mineirão.

Confira classificação, tabela de jogos, artilharia e notícias do Brasileirão

"Foi a empolgação. A gente acha que vai ganhar todo dia de 4 a 0 fora de casa. Começamos bem, mas depois ficou tudo bagunçado, com jogadores recebendo passes sem marcação nas costas da gente", explicou o experiente meia Souza, ainda na saída do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, o Cruzeiro apenas administrou o resultado, trocou passes com tranquilidade e segurou a Portuguesa, que pouco fazia para diminuir a vantagem celeste. Após o apito final, o volante Corrêa, que iniciou a partida como lateral, admitiu que a goleada foi como uma "ducha de água fria" no embalo da equipe, que vinha em um bom momento na Série A.

"Erramos algumas saídas de bola, e o Cruzeiro, com rapidez e agilidade, nos matou no primeiro tempo. Uma ducha de água fria em um momento crescente nosso no campeonato. O momento é bom, mas a gente sabia que estávamos enfrentando o líder. Agora temos que levantar a cabeça, temos dois jogos em casa para se recuperação na competição, não adianta se desesperar", analisou Corrêa.

Com as três vitórias consecutivas, a Portuguesa havia se afastado da zona de rebaixamento, mas ainda segue ameaçada na Série A, podendo terminar a rodada apenas a três pontos da degola. Neste domingo, o time rubro-verde volta a atuar no Estádio do Canindé, contra o Santos, às 18h30 (de Brasília).

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.