Tamanho do texto

Atacante brincou com a situação e evitou falar sobre o jejum de gols do companheiro. Para o clássico contra o Santos, a equipe segue sem poder contar com Denilson e Welliton

Luis Fabiano comentou o jejum do companheiro e aproveitou para alfinetar
Léo Pinheiro/Futura Press
Luis Fabiano comentou o jejum do companheiro e aproveitou para alfinetar

O último gol de Osvaldo pelo São Paulo foi em 28 de fevereiro, há mais de sete meses. Um longo período de improdutividade que foi alvo de brincadeira de Luis Fabiano, nesta terça-feira. O camisa 9 disse que, se esse jejum fosse dele, já não estaria mais no clube.

Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

"Não, não (vivi esse jejum na minha carreira)", disse, ao interromper a pergunta sobre seu companheiro de ataque. "Sete meses, eu fico desempregado", completou, rindo.

Questionado se vem tentando ajudar Osvaldo, Luis Fabiano foi menos indelicado. Mas defendeu a tese de que, em situações como essa, o ideal é falar o mínimo possível. "Procuro não tocar muito no assunto, porque quanto mais se fala, pior. A ansiedade fica maior. Mas vejo o Osvaldo mais tranquilo em relação aos jogos passados. Ele vive um momento difícil, mas eu o vejo mais confiante. Pode acontecer com qualquer atacante e incomoda muito. Mas tem que esquecer um pouco, deixá-lo jogar, que uma hora ele faz o gol, as coisas mudam", falou.

"Se o time estivesse em fase melhor, seria mais fácil ajudá-lo, porque tudo dá certo. Infelizmente, em momentos difíceis, tem jogador que acompanha a má fase do time. Mas acredito muito no potencial do Osvaldo. Ele foi até para a Seleção (Brasileira) neste ano. Uma hora, a fase vai mudar, como a fase do time também. Ele vai fazer gol e vai esquecer esses sete meses de jejum", continuou.

Não é só a fase de Osvaldo que preocupa os são-paulinos. O ataque como um todo tem balançado pouco a rede, em especial no Campeonato Brasileiro. O São Paulo tem o terceiro pior ataque da competição, com 21 gols marcados, mais apenas do que o Corinthians e o lanterna Náutico.

"Também gostaria de ter a resposta, o porquê disso. A gente não vive um grande momento como um todo, o ataque também. No domingo, infelizmente, o goleiro do Grêmio fez uma grande partida. Está certo que faltou um pouco de capricho na finalização, mas é momento. Tudo influencia. A maré é negativa. Às vezes, em outro momento, você fica mais confiante para fazer o gol", disse.

Denilson e Welliton seguem como desfalques

Embora tenham treinado nos últimos dias, Denilson e Welliton seguem como desfalques no São Paulo. Ambos não foram relacionados para a partida desta quarta-feira, contra o Santos, na Vila Belmiro, às 21h50 (de Brasília). 

O volante sofreu uma contratura no músculo posterior da coxa direita, na derrota para o Goiás, há pouco mais de uma semana, e passou a ser desfalque diante da Universidad Católica. Já o atacante foi baixa no mesmo período após reclamar de dores no músculo adutor da coxa.

Além deles, a lista de relacionados para o clássico está desfalcada dos zagueiros Rafael Toloi (com estiramento na coxa direita) e Antônio Carlos (suspenso pelo terceiro cartão amarelo recebido na rodada passada).

Confira a lista de relacionados:

Goleiros: Rogério Ceni e Denis
Laterais: Clemente Rodríguez, Douglas e Reinaldo
Zagueiros: Paulo Miranda e Edson Silva
Volantes: Rodrigo Caio, Wellington e Fabrício
Meias: Paulo Henrique Ganso, Jadson, Maicon e Lucas Evangelista
Atacantes: Luis Fabiano, Ademilson, Osvaldo, Aloísio e Silvinho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.