Tamanho do texto

Foi o quarto jogo seguido do Corinthians sem vitória, a terceira derrota nesse período e o primeiro em que a equipe marcou gols

Os jogadores do Corinthians saíram dos vestiários do Pacaembu cerca de uma hora após o apito final da derrota para o Goiás , e a maioria adotou caminhos para evitar dar entrevistas. Mas nada disso é consequência de uma conversa dura, segundo o Paulo André. De acordo com o zagueiro, o clima era de velório.

Veja como está a classificação e os próximos jogos do Campeonato Brasileiro

"Ninguém falou nada ali. Foi um silêncio. Parecia que morreu alguém", contou o defensor, ressaltando que deu lugar a Emerson Sheik por opção tática, apesar das dores por choque com Walter no primeiro tempo. Mas incômodo mesmo foi pela derrota. "Isso machuca porque estamos tentando, trabalhando e as coisas não acontecem, os gols não saem."

Hugo vence Paulo André, chuta de direita e faz para o Goiás no Pacaembu
Fernando Dantas/Gazeta Press
Hugo vence Paulo André, chuta de direita e faz para o Goiás no Pacaembu

Foi o quarto jogo seguido do time sem vitória, a terceira derrota nesse período e o primeiro em que a equipe marcou gols - e as redes do Goiás só foram balançadas porque a bola que desviou em Gil e bateu em Pato ainda resvalou em Ramon, jogador do time alviverde, antes de entrar na meta.

Os problemas ofensivos foram os mais lamentados também por Gil, que, ao lado de Paulo André, foi um dos poucos a se colocar à disposição da imprensa depois do jogo, inclusive isentando Alexandre Pato, que isolou duas bolas de frente para o goleiro no primeiro tempo. "Ficamos chateados, ninguém quer perder gol, uma partida nem bola dividida, é muito difícil, mas temos que levantar a cabeça", disse o zagueiro.

"Estamos fazendo de tudo, mas, infelizmente, a bola parece que não quer entrar, teima em não entrar. Sabemos que é difícil e precisamos ter cabeça para inverter isso. O negócio é ter tranquilidade e se unir ainda mais para conseguir as vitórias", completou Gil.

O discurso de calma pela paz nos próximos jogos foi o tom dos poucos que deram entrevistas. "É retomar, voltar a vencer para passar dessa fase e animar torcida e grupo. Temos muitos caminhos pela frente, Copa do Brasil e muito jogo. Temos que voltar para o G-4", indicou Paulo André.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.