Tamanho do texto

Rogério Ceni errou a terceira cobrança consecutiva na quinta-feira, na derrota por 2 a 1 para o Criciúma, e será poupado pelo treinador da responsabilidade

O único objetivo do São Paulo no Campeonato Brasileiro é não cair para a segunda divisão. Depois da derrota por 2 a 1 para o Criciúma , a décima no Morumbi em toda a temporada, alguns jogadores se deram conta de que dificilmente o time poderá almejar algo além de se salvar da zona de rebaixamento.

"Nosso campeonato vai ser diferente (do campeonato) dos times que estão lá em cima", opinou Aloísio, centroavante que sofreu um pênalti - desperdiçado pelo goleiro Rogério Ceni - e balançou a rede uma vez no revés, o sexto apenas na competição nacional.

Rogério Ceni assume culpa por derrota e Ganso lamenta ‘vacilo’ no Morumbi

O rendimento como mandante é parte da mostra de quão pífia é a campanha em 2013. No ano passado, o time perdeu apenas três partidas dentro de casa, local em que ganhou 80,5% dos pontos no geral. Na atual edição do Brasileiro, o aproveitamento em seu domínio é de 26%.

"Contra o Flumimense, não foi complicado", disse o técnico Paulo Autuori, usando a vitória na rodada anterior para discordar que esteja sendo complicado atuar no Morumbi. "Temos recebido o apoio da torcida sempre, não é de hoje. Mas é que, quando bate instabilidade (depois de um gol sofrido), a equipe perde qualidade. Isso está claro".

O que Autuori não deixa claro é sua projeção de pontos para as próximas rodadas. "Ela existe, mas não vou falar de números. Temos uma projeção interna, discutimos isso com os jogadores, mas quero eles concentrados no jogo, deixando que nós administremos desgaste e o que vier pela frente", comentou o treinador, quase certo de que ficará para o segundo turno a saída da zona de descenso.

Diferentemente de quinta-feira, quando dependia apenas de si para não mais ficar entre os últimos quatro, no domingo o São Paulo vai precisar de combinação na rodada. Além de vencer o Coritiba, no Couto Pereira, terá que torcer contra Portuguesa e Fluminense. Pode também ultrapassar Atlético-MG, mas apenas tirando diferença de sete gols de saldo.

Rogério Ceni lamenta pênalti perdido
Djalma Vassão/Gazeta Press
Rogério Ceni lamenta pênalti perdido

Cobrador de pênaltis

Depois de definir Jadson como batedor de pênalti do São Paulo e, em seguida, devolver o posto a Rogério Ceni, Paulo Autuori deve novamente mudar. O goleiro-artilheiro errou a terceira cobrança consecutiva na derrota diante do Criciúma, e será poupado pelo treinador da responsabilidade.

"Quando começa a ficar com um fantasma, é preciso ter uma situação diferente. Foi assim depois do lance contra a Portuguesa. Vamos ver", disse Autuori, justificando ter redefinido Ceni por conta de seu aproveitamento nos trabalhos aos quais a imprensa não têm acesso.

Autuori nega cansaço no São Paulo e atribui derrota a desespero e instabilidade

A volta de Ceni às cobranças de pênalti gerou dúvida se ele realmente havia sido o batedor escolhido antes da partida, já que Aloísio agarrou a bola e se preparou para a cobrança tão logo foi derrubado dentro da área. Luis Fabiano também pediu para bater, mas não foi ouvido pelo outro centroavante, que só se retirou ao ver o capitão correr para a área.

Antes de atravessar o gramado, no entanto, Ceni fez um sinal em direção ao banco de reservas, como se estivesse pedindo autorização a Autuori. Ele próprio disse, ao final do jogo, ter solicitado autorização do comandante. Aloísio, por sua vez, reforçou a declaração do goleiro ao negar que houvesse alguma decisão prévia da comissão técnica.

"Ele (Ceni) demorou para ir, mas as coisas estavam definidas", jurou Autuori, em meio ao ruído na comunicação entre ele e os atletas. "Temos situações de tudo quanto é bola parada defensiva e ofensiva. Deixo isso muito claro. O batedor era o Rogério, pelo rendimento que ele normalmente tem nos treinamentos. Só que a fase está difícil".

Não é possível saber o aproveitamento de Ceni porque o goleiro ensaia nos dias em que os treinos não são liberados para a imprensa, segundo Autuori. O que se sabe é que, com os erros contra Bayern de Munique (em 31 de julho), Portuguesa (em 11 de agosto) e Criciúma (nesta quinta-feira), o goleiro-artilheiro chegou ao número de 19 pênaltis perdidos na carreira.

Veja os gols da derrota para o Criciúma:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.