Tamanho do texto

Zagueiro da seleção brasileira disse que interrompeu negociações por ficar magoado com atitudes de dirigentes do clube catalão

Thiago Silva, zagueiro brasileiro do PSG
AP
Thiago Silva, zagueiro brasileiro do PSG

Cogitado para reforçar o Barcelona na última janela de transferências, Thiago Silva, zagueiro e capitão da seleção brasileira e do Paris Saint Germain, revelou nesta sexta-feira alguns dos detalhes que fizeram com que decidisse encerrar as conversas com os espanhóis e renovar com o PSG até 2017.

Comente esta notícia com outros torcedores

Durante entrevista coletiva na concentração da seleção em Brasília, o beque revelou um desejo antigo por atuar pelo Barça, mas não escondeu o incômodo pela maneira como a negociação foi tratada: "Meu sonho era jogar pelo Barcelona. Comigo não teve uma transação difícil. Eram coisas que eu pedi e não era ouvido. Foram algumas situações que aconteceram que, infelizmente, tomei a decisão de não seguir em frente com as conversações. Não estava fazendo bem para mim e nem para os meus familiares."

Além das críticas à forma como os dirigentes catalães manejaram sua negociação, o zagueiro também criticou o tratamento do Barcelona ao francês Abidal, que recentemente reclamou de não ter recebido salários enquanto esteve afastado fazendo tratamento para curar um câncer no fígado.

"Vi a situação do Abidal, e não gostei. Eles não foram corretos, não tiveram palavra. No meu caso, era apenas uma negociação esportiva. Mas no caso do Abidal, que é uma grande pessoa, eles não fizeram nada para ajudar", opinou Thiago Silva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.