Tamanho do texto

Bale enfim acertou com o Real Madrid, PSG e Monaco abriram os cofres, Anzhi desfez o time e Kaká criou coragem para voltar ao Milan por um salário bem menor

Bale se apresenta para a torcida no estádio Santiago Bernabeu com a camisa do Real Madrid
Paul Hanna/Reuters
Bale se apresenta para a torcida no estádio Santiago Bernabeu com a camisa do Real Madrid

Com emoção até os “acréscimos”, a janela de transferências do futebol europeu terminou nesta terça-feira. Os clubes abriram os cofres, o que agitou o mercado até os últimos minutos, gerando ansiedade e suspense em seus torcedores mundo afora.

Qual foi a melhor contratação da janela de transferências? Opine!

A chegada do galês Gareth Bale ao Real Madrid, concretizada como maior transação da história do futebol, a ida de Neymar para o Barcelona, os franceses endinheirados e verdadeiras pechinchas do mercado ganharam destaque nesta janela de transferências para o futebol europeu.

Leia mais: Confira as principais contratações do futebol europeu nesta segunda

Além disso, a nova postura do Anzhi, que agora se desfaz de suas estrelas, e os verdadeiros 'pacotões' de reforços trazidos por Tottenham e Napoli também chamaram a atenção.

O último dia da janela foi marcado pela confirmação da transação de Bale com o Real Madrid, o empréstimo de Kaká para o Milan por dois anos e as idas de Ozil para o Arsenal e Fellaini para o Manchester United. Especulado em várias equipes, o goleiro Julio Cesar, titular da seleção brasileira na Copa das Confederações, seguirá no Queens Park Rangers, na segunda divisão inglesa.

Veja as principais contratações do mercado europeu: 


Real Madrid dá as cartas
Time que mais gastou, o Real Madrid foi o grande protagonista da janela. Segundo o site Transfermarkt, os espanhóis trouxeram o galês Gareth Bale por 100 milhões de euros (R$ 313 milhões). O meia contratado junto ao Tottenham se tornou a maior transferência da história do futebol. Isco, Illarramendi e Carvajal foram outros reforços do Real Madrid.

Kaká acertou seu retorno para o Milan
Luca Bruno/AP
Kaká acertou seu retorno para o Milan

Porém, o time presidido por Florentino Pérez também vendeu jogadores, na busca por reformular seu elenco. No último dia da janela, o Arsenal pagou 50 milhões de euros (R$ 156 milhões) pelo alemão Ozil, que se tornou a maior venda da história do Real Madrid. Além do meia, o time espanhol emprestou Kaká para o Milan por duas temporadas e negociou um pacotão de reforços com o Napoli. Os italianos levaram Higuaín, Callejón e Albiol. Com isso, o Real Madrid gastou 172 milhões de euros (R$ 554 milhões) e recebeu 114,5 milhões de euros (R$ 358 milhões).

Tottenham e Napoli fazem vendas caras e trazem “pacotão”
As duas negociações mais caras da janela impulsionaram reformulações nos elencos. O Tottenham, responsável por vender Bale para o Real Madrid por 100 milhões de euros, abriu os cofres e trouxe o brasileiro Paulinho, o espanhol Soldado, o argentino Lamela e o dinamarquês Eriksen, além de outros reforços menos estelares. Já o Napoli, que negociou o atacante uruguaio Cavani com o PSG pela bagatela de 64,5 milhões de euros, contratou o pacotão do Real Madrid, além do goleiro Rafael, ex- Santos, do colombiano Zapata e do belga Mertens.

‘Novo rico’, Monaco investe pesado e PSG não fica atrás
Comandado pelo bilionário Dmitry Rybolovlev, o Monaco, novo rico do futebol francês investiu pesado na montagem de um novo elenco. Segundo o site Transfermarkt, os franceses gastaram 166 milhões de euros (R$ 519 milhões) em contratações. O colombiano Falcao Garcia, os portugueses James Rodrigues, João Moutinho e Ricardo Carvalho e os franceses Kondogbia e Abidal são os principais reforços do Monaco, que promete brigar pelo título na França nesta temporada.

Artilheiro, Falcao Garcia já marcou seu primeiro gol com a camisa do Monaco
Bob Edme/AP
Artilheiro, Falcao Garcia já marcou seu primeiro gol com a camisa do Monaco


Protagonista de grandes transações na última janela, o PSG manteve a política de grandes investimentos. O uruguaio Edinson Cavani, o brasileiro Marquinhos e o francês Digne foram contratados e movimentaram 109 milhões de euros (R$ 347 milhões).

Dono do Anzhi muda postura e se ‘livra’ de estrelas
Agora, se o grupo dos novos ricos ganhou a adesão do Monaco, perdeu um de seus membros: o Anzhi. O dono do time russo, Suleyman Kerimov, decidiu mudar a postura, após investir muito dinheiro e ver poucos resultados. O bilionário ‘se livrou’ de alguns de seus principais nomes. Eto’o e Willian foram para o Chelsea, o francês Diarra também deixou a equipe e seis jogadores foram para o Dinamo Moscow.

Com a nova política, o Anzhi foi a equipe que mais recebeu dinheiro em negociações na janela. De acordo com o Transfermarkt, os russos arrecadaram 136,3 milhões de euros (R$ 427,2 milhões).

Samuel Eto'o posa com camisa do Chelsea após firmar contrato por um ano com time inglês
Divulgação
Samuel Eto'o posa com camisa do Chelsea após firmar contrato por um ano com time inglês

Pechinchas também marcam a janela
Além das contratações com quantias estratosféricas, casos de Bale e Cavani, a janela também teve as chamadas free transfers, negociações sem custo ou abaixo do valor de mercado. Aproveitando a mudança repentina de ideia do dono do Anzhi, o Chelsea trouxe o camaronês Samuel Eto’o sem custos. Já a Juventus contratou o argentino Tévez, encostado no Manchester City, por 9 milhões de euros (R$ 28,1 milhões), e acertou com o espanhol Llorente de graça. O Barcelona cedeu David Villa para o Atlético de Madri por apenas 2,1 milhões de euros (R$ 6,57 milhões).

Neymar coloca Santos em nono em lista dos que mais arrecadaram
Com a venda de Neymar para o Barcelona, o Santos aparece em nono lugar na lista dos times que mais arrecadaram na janela de transferências. O camisa 11 foi negociado pela somatória de 57 milhões de euros (R$ 178 milhões) e impulsionou o time paulista no ranking. As vendas de Rafael para o Napoli e Felipe Anderson para a Lazio também contribuíram, e o Santos recebeu 70,2 milhões de euros (R$ 220 milhões).

Times da Série B italiana gastam mais do que os da Série A do Brasil
Entre as ligas ao redor do mundo, a Premier League comandou as transações na janela, com cerca de R$ 2,3 bilhões gastos. Já os times brasileiros, impulsionados pela negociação de Neymar com o Barcelona, receberam 205 milhões de euros (R$ 645 milhões) e gastaram apenas 20,4 milhões de euros (R$ 63,8 milhões). Com isso, a Série A do Brasil fica atrás da Série B italiana, que contabilizou 20,8 milhões de euros em transferências.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.