Tamanho do texto

Com 0 a 0 no Serra Dourada, campeão da Libertadores ocupa a 12ª posição no Campeonato Brasileiro. Goianos estão em nono

O Atlético-MG entrou em campo neste sábado, contra o Goiás , no Serra Dourada, buscando entrar no grupo dos dez primeiros colocados do Campeonato Brasileiro . No entanto, esbarrou na falta de criatividade no meio de campo, e, em um jogo de poucas emoções, não soube aproveitar a expulsão de Vítor, aos 27 minutos do segundo tempo. Resultado: 0 a 0. As duas equipes seguem no meio da tabela.

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

O jogo foi muito fraco em Goiânia. O Galo foi melhor no primeiro tempo, mas não conseguiu traduzir a superioridade em chances de gol. Nas vezes em que chegava, esbarrava na falta de pontaria de seus atacantes. Na segunda etapa, o Esmeraldino começou melhor, chegou a acertar uma bola na trave com Ramon, mas foi esfriado pela expulsão de Vitor, que agrediu Pierre após sofrer falta dura no meio-campo, e não levou mais perigo. No fim, o empate parecia o melhor resultado para as duas equipes.

Confira as imagens da 17ª rodada do Campeonato Brasileiro:

Com o resultado, os dois times estacionam na tabela do Brasileirão. O Goiás, com 23 pontos em 17 jogos, fica na nona posição, enquanto o Atlético-MG, com 20 pontos em 16 partidas, ocupa o 12º posto. Eles não têm tempo, porém, para lamentar, já que voltam a campo neste meio de semana. Na terça-feira, o Esmeraldino recebe o Grêmio, às 19h30 (de Brasília), no Serra Dourada, enquanto o Galo pega o Fluminense, quarta, às 21h50 (de Brasília), no Independência.

O Jogo

Se por um lado o Atlético-MG tinha os desfalques de Ronaldinho Gaúcho, Jô e Junior Cesar, o Goiás contava com a presença do artilheiro Walter, que passou por testes físicos antes da partida e começou a partida como titular. Apesar disto, o primeiro tempo de jogo foi completamente dominado pelo Galo, que teve as principais chances de gol nos 45 minutos inciais.

Após um início de estudos e muitos erros de passes, o time comandando por Cuca chegou com perigo pela primeira vez aos 13 minutos. Guilherme avançou pela meia esquerda, chutou cruzado de fora da área e mandou à esquerda de Renan, que não alcançaria.

A resposta e única chance do Esmeraldino na primeira etapa veio rápido. Aos 14, Dudu Cearense cruzou para dentro da área, e Réver se esticou para tirar de carrinho. A bola foi para trás e quase traiu Victor, que a viu passar próxima ao ângulo esquerdo. A partir daí, o Galo passou a controlar a posse de bola e não sofreu mais sustos. Aos 18, Diego Tardelli recebeu com espaço na ponta direita, deixou Rodrigo no chão, mas, ao invés de chutar, tentou mais um drible em Ernando, que o desarmou.

Aos 26, Fernandinho cortou da esquerda para o meio, fintou dois marcadores com categoria e chutou forte de pé direito. A bola foi para fora, mas passou rente à trave esquerda de Renan, que ainda se esticou para tentar defender.

O Galo continuou melhor em campo, mas começou a encontrar dificuldades para marcar. Abusava das jogadas pelas pontas, com Fernandinho, pela esquerda, e Tardelli, pela direita, e não levava mais perigo à meta esmeraldina. Se parava de correr riscos na defesa, o Goiás, por outro lado, também não assustava. Até tinha espaço para contra-atacar, mas falhava em erros de passe de Hugo, Walter e Tartá, que não conseguiam dar continuidade a um lance. Assim, somente uma bola parada para movimentar o jogo. E ela apareceu para os mineiros aos 44 minutos. Guilherme cobrou com curva e extrema categoria do bico da grande área, mas Renan saltou bonito para fazer excelente defesa no ângulo direito. O primeiro tempo acabava sem gols no Serra Dourada.

Se a etapa inicial começara com ritmo lento, o da complementar foi alucinante. Logo nos dez minutos inicias, o Goiás criou mais chances do que em todo o primeiro tempo. Aos quatro minutos, Ramon aproveitou cruzamento da direita, ganhou de Réver no alto e cabeceou na trave de Victor. No rebote, o goleiro atleticano fez milagre em chute de Hugo. No lance seguinte, o meia cortou a marcação dentro da área, bateu rasteiro de pé esquerdo e mandou rente à meta atleticana. O jogo, então, parecia uma repetição da primeira etapa. Porém, com os protagonistas invertidos. Se antes era o Galo que dominava, agora era o Esmeraldino que mantinha o controle da partida.

Por causa dito, Cuca resolveu mexer na sua equipe. Sacou Guilherme, que estava sumido, e colocou o centroavante Jô, a fim de ganhar mais presença de área. Além disso, tirou Luan, cansado, e colocou Neto Berola. A partida permaneceu morna e sem chances claras de gol, até que um lance mudou a situação. Aos 27 minutos, o lateral esmeraldino Vitor sofreu falta dura de Pierre e, ainda no chão, revidou com o pontapé na cabeça do adversário. O árbitro o expulsou imediatamente, e deixou o Goiás com um jogador a menos. Para evitar a derrota, o técnico Enderosn Moreira, então, tirou o atacante Walter e colocou Yuri para reforçar a marcação.

Apesar de estar com um homem a mais, o Galo não tirou proveito da situação, seguiu esbarrando na falta de criatividade no meio de campo e não levou mais perigo ao gol de Renan. Fim de papo: 0 a 0. O Goiás segue invicto no Serra Dourada sob o comando de Enderson Moreira em competições nacionais.

FICHA TÉCNICA - GOIÁS 0 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio do Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 31 de agosto de 2013, sábado
Horário: 18h30 horas (de Brasília)
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Cartões amarelos: David (Goiás); Emerson e Josué(Atlético-MG)
Cartão Vermelho: Vitor, aos 27 minutos do segundo tempo (Goiás)

GOIÁS: Renan, Vitor, Ernando, Rodrigo e William Matheus; David, Dudu Cearense, Ramon (Junior Viçosa) e Hugo; Tartá (Wellinton Júnior) e Walter (Yuri)
Técnico: Enderson Moreira

ATLÉTICO-MG: Victor, M.Rocha, Rever, Emerson, Richarlyson; Pierre (Rosinei), Josué, Luan (Neto Berola), Fernandinho, Guilherme (Jô), Diego Tardelli
Técnico: Cuca

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.