Tamanho do texto

Jogador, que está sem clube, terá de ficar um ano fora do futebol por uso de doping

Último clube de Carlos Alberto foi o Vasco
Gazeta Press
Último clube de Carlos Alberto foi o Vasco

Condenado a um ano de suspensão pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Carlos Alberto não esconde sua insatisfação com o caso. Nesta sexta-feira, um dia após o veredicto, o meia emitiu comunicado em que promete lutar para reduzir ou revogar a pena e provar que é inocente no caso de doping.

Comente esta notícia com outros torcedores

"Fui absolvido duas vezes e punido na terceira. Estou muito triste por ser impedido de exercer minha profissão e fazer o que mais gosto, que é jogar futebol. Como atleta, estamos sujeitos a períodos de inatividade por causa de lesões, mas ser punido por algo que não fiz me dói ainda mais", lamenta o jogador.

Carlos Alberto foi pego em exame antidoping realizado após a partida do Campeonato Carioca entre o seu ex-clube Vasco e o Fluminense, no dia 2 de março. A análise laboratorial identificou duas substâncias mascarantes de anabolizantes consideradas ilegais pela Agência Mundial Antidoping (Wada).

"Tenho certeza da minha inocência e vou prová-la a qualquer custo. Meus advogados já estão preparando o recurso para ser enviado à CAS (Corte Arbitral do Esporte, na Suíça) e espero poder voltar a jogar o mais rápido possível. Tenho certeza que a verdade virá à tona e esse pesadelo acabará" , revela.

Se aceito, o recurso obrigará o novo julgamento a ser realizado no CAS, na Suíça. Se não conseguir anular a suspensão, o objetivo dos advogados de Carlos Alberto é fazer com que o tribunal suíço inicie a contagem do gancho de um ano a partir do dia do exame (2 de março).

Com o abatimento de 77 dias previsto na sentença desta quinta-feira - 30 referentes à suspensão preventiva e 47 pela demora entre o recolhimento da amostra de urina e a divulgação do resultado do exame -, Carlos Alberto estaria livre para atuar a partir de janeiro do próximo ano.

O meia não atua desde o dia 8 de junho, quando marcou de pênalti o gol do Vasco no empate em 1 a 1 com o Bahia. Como seu contrato com o Cruz-Maltino se encerrou no dia 2 de agosto e não foi estendido, ele tinha sondagens de equipes como Palmeiras, Santos e Fluminense, com o qual teria acerto verbal e assinaria contrato em caso de absolvição.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.