Tamanho do texto

Diretor-executivo afirmou que o clima está tranquilo e que os atletas entenderam a cobrança do presidente Paulo Nobre

Brunoro negou que a diretoria esteja pensando em dispensar Gilson Kleina
Gazeta Press
Brunoro negou que a diretoria esteja pensando em dispensar Gilson Kleina

Um dia depois da reunião que manteve Gilson Kleina sob o comando do Palmeiras , o diretor-executivo José Carlos Brunoro resolveu conceder uma entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, na Academia de Futebol, para minimizar as polêmicas após a derrota por 3 a 0 para o Atlético-PR e a eliminação na Copa do Brasil. Ele revelou uma conversa com os jogadores antes do treino e garantiu a permanência do treinador mesmo que ele perca o jogo contra o Ceará , sábado, pela a Série B do Campeonato Brasileiro.

O que você achou das declarações de Brunoro? Deixe o seu recado e comente com os outros leitores

"Nós estamos criando um novo tipo de administração, porque sempre há esse tipo de problema tem uma cobrança. E essa cobrança não significa necessariamente a demissão. Às vezes essa avaliação acontece durante o trabalho e, principalmente, quando terminamos uma competição. Neste caso, como foi uma eliminação para a Copa do Brasil, houve uma cobrança um pouco mais forte do presidente quanto a motivação dos atletas para o jogo. O Paulo (Nobre) é muito autêntico, então ele queria que o elenco tivesse se doado um pouco mais. Mas volto a dizer, a cobrança não significa demissão e sim realinhamento e reavaliação do trabalho", declarou o cartola durante a coletiva.

Leia mais: Depois de reunião, Gilson Kleina permanece no comando do Palmeiras

Brunoro também negou que as declarações exaltadas de Paulo Nobre na noite da quarta-feira tenham prejudicado a relação da diretoria com o elenco.

"Em primeiro lugar, o Paulo (Nobre) é um cara autêntico e um novo dirigente que tem tido essa característica em sua forma de gestão. Os jogadores o adoram sejam por bem ou mal. Ele (Paulo Nobre) não tem meias palavras, ele fala o que sente. Desde que assumimos, temos uma convivência clara com os jogadores. Eles sabem que sabem disso, sabem que o Paulo é assim e entendem a manifestação que ele teve, por ele é assim. O Paulo, na minha visão, tem dado um exemplo de autenticidade e transparência", ressaltou o cartola.

Confira a classificação atualizada da Série B

A diretoria do Palmeiras resolveu manter o técnico Gilson Kleina depois de uma reunião na tarde da última quinta-feira. Além de aceitar as justificativas do comandante, a questão financeira pesou para que Paulo Nobre o mantivesse no cargo. Caso optasse por demiti-lo, o presidente teria de desembolsar cerca de R$ 1 milhão.

E mais: Demissão de Gilson Kleina custaria cerca de R$ 1 milhão ao Palmeiras

Gilson Kleina tem contrato com o clube até o fim deste ano e, caso saísse do comando, ainda teria de receber um mês de vencimento de direito de imagem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.