Tamanho do texto

Apenas esperando chegada do Mundial de Clubes, time soma duas vitórias, dois empates e quatro derrotas depois da conquista continental e foi eliminado da Copa do Brasil

Atlético-MG foi eliminado pelo Botafogo da Copa do Brasil, torneio que tinha definido como prioridade
Vipcomm
Atlético-MG foi eliminado pelo Botafogo da Copa do Brasil, torneio que tinha definido como prioridade

Duas vitórias, dois empates e quatro derrotas. Eliminado da Copa do Brasil e apenas 12º colocado no Brasileirão. Este é o Atlético-MG  mais de um mês após título inédito da Libertadores. Como é de costume para times do país que conquistam a competição continental, a equipe de Cuca vive longa ressaca enquanto espera a chegada do Mundial de Clubes no final do ano.

Acha que o Atlético-MG deve apenas esperar o Mundial de Clubes? Comente

Desde o dia 24 de julho, quando venceu o Olimpia nos pênaltis, o Atlético-MG não foi sombra do que era antes. De lá para cá, o clube foi goleado pelo arquirrival Cruzeiro, perdeu sua histórica invencibilidade de 38 partidas no estádio Independência para o Atlético-PR e caiu diante do Botafogo no torneio que havia definido como prioridade para o semestre.

”Agora é o Brasileiro a única competição até o Mundial e a gente precisa se empenhar. Se a gente der uma sequência boa, quem sabe podemos sonhar com o título”, falou o volante Pierre sobre a sequência do Atlético-MG na temporada.

Embora comum, a ressaca atleticana só não é maior do que a que o São Paulo viveu em 2005. Nos dez compromissos seguintes à conquista da Libertadores oito anos atrás, os tricolores tiveram campanha pífia: uma vitória, três empates e seis derrotas. O time terminou o Brasileirão daquela temporada na modesta 11ª colocação, mas voltaram do Japão com o título mundial.

O Corinthians de 2012 também é um exemplo de equipe que empurrou o campeonato nacional com a barriga. Mas pelo menos os comandados de Tite não diminuíram tanto o ritmo depois de vencerem a disputa sul-americana: foram quatro vitórias, quatro empates e duas derrotas. No Brasileirão, o sétimo lugar acabou sendo compensado no Mundial com a vitória em cima do Chelsea.

RESSACA BRASILEIRA PÓS-LIBERTADORES
CLUBE 10 JOGOS POSIÇÃO FINAL MUNDIAL
São Paulo (2005) 1V, 3E, 6D 11º Campeão
Inter (2006) 4V, 3E, 3D Vice-campeão Campeão
Inter (2010) 5V, 3E, 2D 3º lugar
Corinthians (2012) 4V, 4E, 2D Campeão
Atlético-MG (2013) 2V, 4E, 4D 12º* -

Campeão da Libertadores em 2006 e 2010, o Internacional não teve grande ressaca depois do primeiro título. Apesar da modesta campanha de quatro vitórias, três empates e três derrotas em seus dez jogos após a conquista, os gaúchos foram vice-campeões brasileiros e ainda bateram o Barcelona na final do Mundial de Clubes. Há três anos, porém, o time terminou o Nacional em sétimo e caiu diante da zebra Mazembe.

Fica claro, tendo em vista os rivais, que a espera do Atlético-MG vai ser longa até o dia 18 de dezembro, data de estreia na semifinal do Mundial de Clubes. A final, a possível e aguardada partida contra o Bayern, será no dia 21.

Venda de Bernard ainda é sentida
Mais do que somente “ressaca” explica a atual fase do Atlético-MG. Tão logo a Libertadores acabou, Bernard, a maior revelação do clube nos últimos anos, foi vendido para o Shakthar Donetsk, da Ucrânia. Nem a possibilidade de disputar o Mundial de Clubes contra o Bayern de Munique de Pep Guardiola segurou o atleta.

Para seu lugar, foi contratado Fernandinho, ex-São Paulo e que estava no Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos. Apesar da boa atuação do atacante diante o Botafogo na última quarta-feira, ainda é nítida a falta que Bernard faz.

Também pensando no restante da temporada, o Atlético-MG contratou nesta semana o zagueiro Emerson, ex-Coritiba.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.