Tamanho do texto

Após vencer por 4 a 2 no Rio de Janeiro, cariocas seguraram a vantagem fora de casa e estão nas quartas da Copa do Brasil

Não faltou vontade para o Atlético-MG no confronto desta quarta-feira, contra o Botafogo , no Independência, mas diferentemente da Libertadores, o Galo não conseguiu reverter a vantagem dos cariocas e foi eliminado da Copa do Brasil. O duelo dos alvinegros ficou no empate em 2 a 2, como o Fogão venceu a ida por 4 a 2, avança para as quartas de final da Copa do Brasil.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Seedorf e Fernandinho disputam bola no empate entre Botafogo e Atlético-MG
Vipcomm
Seedorf e Fernandinho disputam bola no empate entre Botafogo e Atlético-MG

O primeiro gol do jogo foi anotado pelo lateral Marcos Rocha, que apareceu livre na área para completar cruzamento de Fernandinho. Logo no começo do segundo tempo, Rafael Marques deixou tudo igual no placar, Tardelli fez grande jogada e deixou Fernandinho em condições de fazer o segundo gol do Atlético-MG, e o zagueiro Dória empatou novamente o jogo.

Classificado para as quartas de final da Copa do Brasil, o Botafogo aguarda ainda nesta quarta-feira, o adversário na próxima fase, que sai do confronto entre Flamengo e Cruzeiro, que jogam no Maracanã. Antes de seguir na Copa do Brasil, Galo e Fogão voltam as atenções para o Brasileiro, no sábado, os atleticanos duelam contra o Goiás, e o Botafogo mede forças diante do São Paulo, no domingo.

O jogo
Precisando reverter uma vantagem de dois gols, o Atlético-MG iniciou a partida com o objetivo de pressionar os cariocas, mas o Galo deu espaços para o Botafogo, deixando o duelo aberto em uma estratégia ousada dos atleticanos. A primeira chance de perigo nasceu logo aos quatro minutos, com cabeçada de Leonardo Silva, que obrigou Jéfferson a fazer ótima defesa para salvar o Fogão.

Explorando o jogo aéreo com os zagueiros Réver e Léo Silva, o Galo deu muito trabalho para os defensores da equipe visitante. Enquanto o Atlético-MG procurou acelerar o jogo durante todo o tempo, a equipe de Oswaldo de Oliveira optou por valorizar a posse de bola no campo de ataque, cadenciando o confronto de alvinegros.

Este foi o cenário da maior parte do primeiro tempo no Horto. Aos 14, a genialidade de Ronaldinho apareceu e o craque fez grande jogada deixando o avante Jô livre para marcar, mas o atacante atleticano se atrapalhou e mandou sobre o travessão do Botafogo. Dois minutos depois R10 apareceu na posição de centroavante, e de cabeça, obrigou Jéfferson a trabalhar mais uma vez na partida.

Os dois lances de perigo serviram para o Galo intensificar a pressão em cima dos cariocas. A blitz da equipe mineira obrigou o Botafogo a recuar as linhas de marcação, com isso, o Atlético-MG passou a controlar o confronto. Percebendo o esforço da equipe, a torcida passou apoiar o time, transformando o Independência em um verdadeiro caldeirão.

O volume de jogo do Galo foi premiado com um gol aos 37, marcado por Marcos Rocha, que apareceu livre na área para completar cruzamento de Fernandinho, enlouquecendo o torcedor no Horto. O gol deu ainda mais confiança para o Atlético-MG, que tentou ampliar na etapa inicial, mas não conseguiu.

Na volta para a etapa final, o Botafogo adiantou a marcação e logo aos cinco minutos deu um verdadeiro banho de água fria nos atleticanos. Seedorf fez boa jogada pela esquerda e Rafael Marques mandou para o fundo do gol de Victor. Os donos da casa tentaram dar uma resposta rápida para manter a disputa em aberto, mas Jô caprichou demais e a bola acertou a trave de Jéfferson.

Aos 11, Seedorf perdeu uma bola no campo de ataque, Tardelli arrancou de forma sensacional e deixou Fernandinho na cara do gol para recolocar o Galo em vantagem no marcador. A euforia dos mineiros não durou muito tempo, isso porque, o zagueiro Dória resolveu se aventurar no ataque, e aos 16 voltou a deixar tudo igual no Independência.

Jogado em grande intensidade, o clássico nacional entre os alvinegros mais tradicionais de Minas Gerais e Rio de Janeiro seguiu aberto e com alternância de oportunidades para as duas equipes. Apesar dos esforços, o placar de Galo e Fogão ficou mesmo na igualdade, garantindo os botafoguenses na sequência da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 2 BOTAFOGO

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 28 de agosto de 2013, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Fábio Pereira (TO)
Cartões amarelos: (Atlético-MG) Jô, Fernandinho (Botafogo) Edilson, Bolívar, Jéfferson, Alex, Lodeiro, Henrique
Gols:
Atlético-MG: Marcos Rocha, aos 37 minutos do primeiro tempo; Fernandinho, aos 11 minutos do segundo tempo
Botafogo: Rafael Marques, ao cinco e Dória, aos 16 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Júnior César (Guilherme); Pierre, Luan (Michel), Fernandinho (Neto Berola) e Ronaldinho; Tardelli e Jô
Técnico: Cuca

BOTAFOGO: Jéfferson; Edilson, Dória, Bolívar e Júlio César; Gabriel, Lucas Zen, Seedorf (Renato) e Lodeiro; Rafael Marques (Sassá) e Alex (Henrique)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.