Tamanho do texto

Punição se deve ao descumprimento de termo de compromisso firmado pela organizada em 2011, no qual se propôs a não se envolver em incidentes em praças esportivas

A Gaviões da Fiel, maior torcida organizada do Corinthians , foi multada pelo Ministério Público de São Paulo em R$ 30 mil reais por causa da briga com torcedores do Vasco no último domingo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O procurador de direito do consumidor Roberto Senise Lisboa pediu ainda a dissolução da entidade.

Você acha que as torcidas organizadas devem acabar? Deixe seu comentário

Torcedores de Vasco e Corinthians brigam no Mané Garrincha
Adalberto Marques/ Agif/Gazeta Press
Torcedores de Vasco e Corinthians brigam no Mané Garrincha

A punição se deve ao descumprimento de um termo de compromisso firmado pela organizada em 2011. Na época, a torcida se propôs a não se envolver em incidentes em praças esportivas. Imagens de câmeras de TV, que flagraram membros da Gaviões no tumulto, foram usadas como provas pelo Ministério.

“A medida deveria servir para que a própria entidade apontasse os culpados pelos crimes cometidos e isso não tem sido feito. Cria-se uma cortina de fumaça e não se chega às pessoas que de fato cometeram os crimes. E às vezes prevalece a lei do silêncio entre os torcedores”, afirmou Lisboa.

LEIA:  Briga entre corintianos e vascaínos teve preso em Oruro e vereador do PT

Sobre os envolvidos na briga, entre eles o vereador Raimundo César Faustino e o torcedor Leandro Silva, que passou cinco meses preso em Oruro, o procurador disse que só poderão ser indiciados criminalmente em Brasília. Com relação à Torcida Jovem, organizada do Vasco, a decisão de punir ou não é do Ministério Público do Rio de Janeiro.

Lisboa falou ainda que irá investigar a briga entre torcedores de São Paulo e Flamengo, ocorrida também em Brasília na semana passada. Caso fique comprovada a participação da torcida Independente, o procurador também pedirá sua dissolução.

Galeria de fotos mostra torcedores do Corinthians presos em Oruro, na Bolívia:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.