Tamanho do texto

Ex-presidente do clube carioca criticou a Traffic e disse que a empresa exerceu pressão para a venda da jovem revelação

A venda de Vitinho para o CSKA Moscou, da Rússia, segue rendendo polêmica em General Severiano. Na noite da última segunda-feira, foi a vez do ex-presidente e um dos nomes fortes da política do clube se pronunciar. Em entrevista à Rádio Tupi , Carlos Augusto Montenegro demonstrou sua revolta com a negociação e acusou a Traffic, empresa que representa o jogador, de exercer uma grande pressão para vendê-lo ao exterior.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

O jovem Vitinho foi vendido para o CSKA
Wagner Mayer/Agif/Gazeta Press
O jovem Vitinho foi vendido para o CSKA

"Houve uma pressão tremenda da Traffic e de um empresário chamado Miguel, que fez a cabeça do jogador tirando na marra. Querem que ele viaje imediatamente para fazer exames. Quase sequestraram o menino para tirá-lo da concentração, poucos dias antes de um jogo importante", afirmou Montenegro.

Leia mais: CSKA Moscou paga multa de R$ 31,5 milhões e tira Vitinho do Botafogo

Vitinho estava com o restante do elenco em Curitiba, local no qual a equipe disputou partida contra o Atlético-PR, domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Naturalmente, ele se dirigiria para Belo Horizonte, onde o clube carioca enfrenta o Atlético-MG, quarta-feira, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. No entanto, voltou direto para o Rio de Janeiro e acertou sua transferência para o CSKA Moscou, da Rússia, por 10 milhões de euros (R$ 31 milhões).

"Não dá para fazer muita coisa. A multa está no contrato. Falam muito de profissionalismo, mas e o de cumprir suas obrigações até o último dia. Foi uma confusão da noite para o dia", explicou o ex-presidente alvinegro, que ainda citou o alto salário oferecido pelos russos como ponto fundamental para o sucesso da negociação.

"Vitinho começou o ano ganhando R$ 15 mil e já tinha recebido há dois meses um aumento para R$ 35 mil e havia uma promessa de ir a R$ 200 mil. Mas estão oferecendo R$ 500 mil por mês para ele, mais luvas. Isso mexe com a cabeça do garoto. Fico triste pois o Botafogo perde muito", admitiu.

Se confirmada a venda de Vitinho, subirá para quatro o número de jogadores vendidos pelo Botafogo desde a conquista do título carioca deste ano. Além do jovem de 19 anos, atletas importantes como Fellype Gabriel, Jadson e Andezinho foram negociados para fora do País, desfalcando o Alvinegro para a disputa do Brasileirão, competição na qual ocupa a segunda posição.

"É claro que a gente fica desanimado. Mas também ficou assim quando saiu Fellype Gabriel e hoje nem lembramos dele. Vamos em frente. Claro que se tivesse Vitinho, Fellype e Andrezinho seria melhor, mas não tem. Futebol é isso", encerrou Montenegro.

Revoltados com saída de Vitinho, torcedores picham muro da sede

Na noite desta segunda-feira, após o anúncio da negociação de Vitinho para o CSKA Moscou, da Rússia, cerca de 50 alvinegros se reuniram na entrada da sede do clube, em General Severiano, para protestar contra a alta cúpula da equipe e o jovem jogador.

Sem entoar palavras de ordem ou gritos de apoio ao clube, os torcedores picharam um muro, logo na entrada da sede, e demonstraram indignação com o pésismo momento financeiro do clube. Nas inscrições, havia "Fora safado - MA", em referência ao presidente Maurício Assumpção, e "Mercenário" e "Acabou o amor $$$$", direcionadas a Vitinho.

Um carro da polícia foi chamado para intervir em caso de quebra-quebra, mas, com a relativa tranquilidade, ficou apenas de prontidão na frente do local. Alguns torcedores ainda chegaram à sede do clube, mas não ameaçaram quebrá-la e nem invadí-la. Por volta de 23h40 todos os torcedores já haviam deixado o local. No mesmo tempo, do outro lado da cidade, no Engenhão, pichações também foram feitas em um muro da entrada leste. "Maior roubo da história!" era a frase estampada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.