Tamanho do texto

Engenheiro civil e torcedor fanático, Ricardo Canal, conseguiu emprego na construtora e hoje coordena as obras da arena. Ele chegou a enquadrar até azulejo do antigo vestiário

Torcedor fanático é engenheiro das obras do Allianz Parque
Divulgação
Torcedor fanático é engenheiro das obras do Allianz Parque

Ricardo Canal, de 23 anos, resolveu unir a paixão e a profissão. Engenheiro civil e torcedor apaixonado pelo Palmeiras, Ricardo viu nas obras da Allianz Parque a oportunidade de fazer parte da história do clube.

Foi em 2010, mesmo ano em que iniciaram as obras da arena, que Ricardo começou a mandar currículo para WTorre até ser selecionado para trabalhar na construção de um shopping na capital paulista. Quando a obra já estava praticamente finalizada, o palmeirense convenceu o chefe para ser transferido às obras do estádio alviverde.

"Eu entrei na WTorre em 2010 com o objetivo de vir para cá (Allianz Parque), mas no começo não havia oportunidade. Foi um pouco difícil convencer o chefe, porque você pega confiança e aqui era outro chefe. mas consegui convencê-lo", disse ele em entrevista ao iG Esporte .

A jornada de Ricardo começa cedo. Ele acorda às 5h para entrar às 7h no serviço e, por muitos dias, chega a trabalhar cerca de 12 horas. Mas ele não reclama. Pelo contrário, ele dorme pensando no estádio e acorda pensando nele.

"Por eu ser palmeirense e trabalhar na obra do time do meu coração, venho aqui com muito orgulho. Todos os dias eu fico pensando na obra. Para mim é maravilhoso. A emoção é única, não tem explicação", completou.

Por trabalhar na "nova casa", o engenheiro fez questão de guardar recordações do antigo Palestra Itália, como por exemplo, o azulejo do antigo vestiário da equipe.

"Eu peguei o azulejo do banheiro dos jogadores. Onde era o antigo vestiário tem um azulejo com o símbolo do Palmeiras e eu fiz um quadro para ele e coloquei na minha casa", explicou.

Ricardo se tornou palmeirense ainda pequeno por influência do pai, que também é fanático, e acompanhou de perto o time na década de 90, quando foram conquistados os títulos Paulista (1993, 1994 e 1996), Torneio Rio-São Paulo (1993), Brasileiro (1993 e 1994) Libertadores (1999) e Mercosul (1998). Agora, ele espera o bicampeonato consecutivo da Copa do Brasil e a disputa da Copa Libertadores em 2014.

"Meu sonho é o Palmeiras defender a Copa do Brasil e fazer a final aqui e, quem sabe o ano que vem, a Libertadores. Acho que seria um sonho legal para acontecer", afirmou.

Muito mais do que um funcionário na obra, Ricardo representa a paixão e dedicação de mais de 18 milhões de palmeirenses. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.