Tamanho do texto

Brasileiro Willian foi o último jogador vendido após magnata anunciar corte de investimentos em resposta aos resultados decepcionantes em campo. E mais atletas podem sair

Willian em ação pelo Anzhi em julho
Epsilon/Getty Images
Willian em ação pelo Anzhi em julho

A "liquidação" do elenco anunciada pelo Anzhi no início de agosto segue a todo valor. Com a confirmação da transferência do meia brasileiro Willian para o Chelsea , os russos já negociaram oito jogadores - sete deles agora reforçam rivais do clube do magnata Suleyman Kerimov, o responsável pela queima de estoque.

Comente esta notícia com outros torcedores

Além de Willian, saíram do Anzhi neste mês o zagueiro brasileiro João Carlos, para o Spartak Moscou, o meia Shatov, para o Zenit, o volante Lassana Diarra e o atacante Boussoufa, ambos para o Lokomotiv, além do volante Denisov, do meia Zhirkov e do atacante Kokorin, contratados pelo Dínamo de Moscou.

A debandada deve aumentar até o fim de agosto, quando se encerra o período para transferências no futebol europeu. O camaronês Samuel Eto'o é o principal alvo dos clubes, com favoritismo para o Chelsea, já que o atacante revelou recentemente o desejo de voltar a trabalhar com o técnico José Mourinho. O volante brasileiro Jucilei e o atacante Lacina Traoré, da Costa do Marfim, são outros cotados para futuras negociações.

No último dia 2, após a derrota por 1 a 0 para o Rostov pelo Campeonato Russo, Suleyman Kerimov teve um mal súbito. Irritado com os resultados decepcionantes em campo e disposto a não mais prejudicar sua saúde por causa do Anzhi, decidiu não mais "brincar de futebol" e colocou todos os jogadores à venda, além de anunciar uma redução no investimento anual do futebol: de US$ 187 milhões para US$ 78 milhões. 

Até então um clube desconhecido do Dugestão, região que tenta se separar da Rússia, o Anzhi Makhachkala ganhou as manchetes em janeiro de 2011, quando Kerimov, um bilionário conhecido por promover festas nababescas com celebridades em iates, anunciou sua compra. O objetivo era transformá-lo em potência do futebol europeu. Para isso, investiu pesado em contratações, como o ex-lateral esquerdo Roberto Carlos e Samuel Eto'o, com salário superior a 20 milhões de euros anuais. Em janeiro deste ano, os russos desembolsaram 35 milhões de euros para tirar Willian do Shakhtar Donetsk - praticamente o mesmo valor que receberam para negociá-lo com o Chelsea menos de oito meses depois.

Tanto investimento, no entanto, não garantiu sucesso em campo. Na temporada passada, o Anzhi terminou o Campeonato Russo em terceiro lugar e parou nas oitavas de final da Liga Europa. Atualmente, soma dois pontos em cinco partidas (dois empates e três derrotas, ocupando a 13ª posição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.