Tamanho do texto

Gol de João Vitor aos 43 minutos do segundo tempo faz time catarinense diminuir placar para 2 a 1 e aumentar chances de recuperação na partida da volta

Cesar comemora gol da Ponte Preta
Site oficial
Cesar comemora gol da Ponte Preta

Estreando em competições internacionais, a Ponte Preta abriu importante vantagem rumo à classificação às oitavas de final da Copa Sul-Americana. Fora de casa, o time de Campinas venceu o Criciúma por 2 a 1 e voltou para Campinas com vantagem na bagagem.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O resultado, no entanto, podia ter sido melhor. Isto porque a Ponte vencia até os 43 minutos do segundo tempo, quando João Vitor aproveitou um dos poucos lances de perigo do Criciúma no jogo para diminuir. César, de cabeça, e Chiquinho, de falta, haviam marcado para a Ponte.

O jogo de volta está marcado para às 21h50 (de Brasília) da próxima terça-feira, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Com o resultado de hoje, a Ponte pode perder por 1 a 0 que ficará com a vaga. A Macaca também joga pelo empate. Já o Criciúma precisa vencer por dois gols de diferença ou pela diferença mínima a partir de 3 a 2 para classificar-se. Uma vitória por 2 a 1 do Tigre leva a decisão para os pênaltis. Quem avançar encara o vencedor do confronto entre Deportivo Pasto (COL) e Colo Colo (CHL).

Antes, porém, as duas equipes tem compromissos pelo Campeonato Brasileiro. Às 18h de sábado, a Macaca recebe o Cruzeiro. No mesmo dia, o Criciúma tem pela frente o Coritiba, às 21h.

O jogo

Mesmo atuando como visitante, foi a Ponte que começou o jogo atacando. Logo aos cinco minutos, o zagueiro César aproveitou cobrança de falta fechada de Uendel e escorou de cabeça para abrir o placar no Heriberto Hülse.

Com o gol sofrido, o Criciúma foi para cima e assustou logo em seguida, em chute de Morais que desviou na zaga e quase enganou Roberto. O lance, no entanto, foi o único de perigo dos donos da casa no primeiro tempo.

Aproveitando os espaços deixados pelo time catarinense, a Ponte tocava a bola bem e quase ampliou o placar em duas oportunidades. Primeiro aos 27, quando Rildo fez bela jogada individual pela esquerda e obrigou Gallato a fazer verdadeiro milagre. Depois aos 42, em lance semelhante que Chiquinho chutou rente à trave.

Apesar dos gritos de "Vergonha" da torcida do Criciúma no intervalo, o panorama foi o mesmo na etapa final. Trocando passes com categoria, principalmente pelo lado esquerdo do ataque, a Macaca finalizou duas vezes com perigo ao gol de Gallato.

A bola parada, no entanto, continuava sendo a principal arma do time de Campinas. Aos 11, Uendel acertou cruzamento semelhante ao do primeiro gol para César. Livre, o zagueiro escorou na pequena área para o companheiro Betão que, sozinho, desviou para fora.

O lance acordou o Criciúma. Mais ofensivo, o time da casa quase empatou o placar em duas oportunidades. Aos 17, Lins ganhou da corrida de César, mas tirou muito de Roberto e viu a bola morrer na linha de fundo. Dois minutos depois, Fabinho recebeu belo cruzamento, tirou de dois marcadores e chutou rasteiro, obrigando o goleiro Roberto a fazer bela defesa.

As esperanças do Tigre, porém, acabaram aos 22 minutos. Com categoria, Chiquinho cobrou falta na entrada da área no ângulo de Gallato, que nada pode fazer. Foi o segundo gol de bola parada do atacante em 2013.

Abatido, o Criciúma pouco fez na metade final do segundo tempo. O time ainda foi prejudicado por lesão na coxa de Wellington Paulista que o deixou com um jogador a menos em campo, já que o técnico Vadão já havia realizado as três substituições que tinha direito, e viu sua torcida gritar "olé" ironicamente quando a Ponte tinha a bola.

No final do jogo, porém, Lins encontrou forças para fazer boa jogada na linha de fundo e cruzar na primeira trave. Com um elemento surpresa, o meia João Vitor apareceu livre para cabecear forte e manter as esperanças do Criciúma.

FICHA TÉCNICA - CRICIÚMA 1 x 2 PONTE PRETA
Local:
Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC)
Data: 21 de agosto de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 horas (de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS) Assistentes: Altemir Hausmann (RS) e Rodrigo Joia (RJ)
Cartões amarelos: Matheus Ferraz, Leonardo Moura, Gilson, Amaral, João Vitor e Wellington Paulista (Criciúma); Magal e Uendel (Ponte Preta)

Gols
Ponte Preta:
César, aos 5 minutos do primeiro tempo, e Chiquinho, aos 22 do segundo.
Criciúma: João Vitor, aos 43 do segundo.

CRICIÚMA: Gallato; Sueliton (Tony), Matheus Ferraz, Leonardo e Gilson; Amaral (Bruno Renan), Leandro Brasília, João Vitor e Morais (Lins); Fabinho e Wellington Paulista
Técnico: Vadão

PONTE PRETA: Roberto; César, Betão e Diego Sacoman; Régis, Magal, Fernando Bob, Chiquinho (Giovanni) e Uendel; Rildo (Rafinha) e Dennis (Advíncula)
Técnico: Paulo César Carpegiani

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.