Tamanho do texto

Equipe tem um atacante arrasador e uma defesa mediana. Só que nesta quinta-feira, diante do Atlético-MG, a maior preocupação é não sofrer gols

Rafael Marques: ataque em segundo plano
Vitor Silva/SSPress
Rafael Marques: ataque em segundo plano

No Brasileirão deste ano, o Botafogo tem o segundo melhor ataque, com 27 gols marcados, e apenas a nona melhor defesa, com 17 gols sofridos. Os números, bem assimilados no Campeonato Brasileiro, podem se tornar um problema no duelo desta quinta-feira contra o Atlético-MG pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Confira classificação, tabela de jogos e artilharia do Campeonato Brasileiro

“A Copa do Brasil é uma competição diferente, pois sabemos que temos que ganhar sem sofrer gols. No Campeonato Brasileiro, se o ataque faz mais gols que a defesa em um jogo, está tudo bem, pois o importante é apenas somar pontos. Na Copa do Brasil não podemos levar gols em casa, e é nisso que vamos precisar nos ligar contra o Atlético Mineiro", afirmou o zagueiro Bolívar.

Leia mais:  Elenco do Botafogo minimiza discussão entre Seedorf e Gilberto

Até o atacante Rafael Marques, artilheiro do time no Brasileirão com 7 gols, incorporou a mentalidade defensivista para o jogo de quinta. "Claro que a prioridade da gente é vencer, mas não podemos permitir que o Atlético-MG faça gols no Maracanã. Se não formos vazados aqui, eles acabarão ficando mais nervosos em casa", analisou.

No último duelo, os temores do Botafogo se confirmaram, embora o jogo tenha sido no estádio Independência. O time carioca sofreu dois gols, o segundo aos 49 miutos da etapa final, e amargou um empate por 2 a 2. "Houve uma infelicidade no finzinho, mas jogamos muito bem. O próprio Atlético sabe que vai enfrentar um time forte, o líder do Brasileirão", disse Bolívar.

Além da boa campanha, pesa a favor do Botafogo a má fase do ataque do Atlético-MG. Foram apenas 13 gols marcados no Brasileirão, menos apenas do que o lanterna Náutico, que fez 8. Desde a final da Libertadores, foram somente 6 gols marcados em 7 jogos.

Veja também:  Tardelli volta a treinar com bola e espera enfrentar o Botafogo

Para tentar mudar esse cenário, o Atlético-MG aposta em Diego Tardelli, que se recupera de contusão e pode entrer em campo para acabar com a seca ofensiva. “Sei que posso fazer algo diferente. E quando você está de fora vê melhor as coisas em campo. Nosso time já tem um padrão de jogo e quando eu não estou, percebo que perde um pouco essa velocidade”, disse o atacante.

Mais um motivo para o Botafogo se precaver. "A classificação deverá ser definida nos detalhes, como, por exemplo, nos gols marcados como visitante. Não podemos dar espaços para sermos eliminados neste critério", disse o goleiro Jefferson.

*com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.