Tamanho do texto

Chileno está com edema na coxa direita e não enfrenta o Atlético-PR pela Copa do Brasil

Valdivia volta a ficar fora por lesão
Marcello Zambrana/Inovafoto/Gazeta Press
Valdivia volta a ficar fora por lesão

Valdivia não estará em campo na estreia do Palmeiras na Copa do Brasil. Com edema na coxa direita constatado há uma semana, o meia realiza tratamento nas dependências internas da Academia de Futebol ciente de que não tem condições de enfrentar o Atlético-PR nesta quarta-feira, no Pacaembu, e sem data nem para voltar a treinar.

Comente esta notícia com outros torcedores

"Para quarta-feira acho que não vai dar mesmo", afirmou o médico Otávio Vilhena, que não se arrisca nem a falar quando o jogador mais caro do elenco treinará em campo novamente. "Talvez dê para ele no jogo de volta", prosseguiu Vilhena, citando o duelo de volta, dia 28, em Curitiba.

O camisa 10 fez rápida aparição diante da imprensa na reapresentação do elenco, na tarde desta segunda-feira. O meio-campista caminhava com certa dificuldade para a sala de musculação, mantendo tratamento que, de acordo com o Verdão, foi iniciado por ele no último sábado.

Restando três jogos, Palmeiras já tem 2ª melhor campanha de turno na Série B

Os médicos do Palmeiras dizem que o jogador está "clinicamente bem". Mas, caso cumpra a estimativa mais otimista e enfrente o Atlético-PR no dia 28, terá passado 18 dias sem entrar em campo, se tornando desfalque novamente em quatro partidas.

Antes de seu último jogo, no dia 10, contra o Paraná, Valdivia tinha participado de sete das oito partidas do time após 114 dias afastado por dores na coxa direita. Mas foi substituído diante dos paranaenses reclamando de dores na coxa direita, já colocando gelo no local, e voltou a relatar o incômodo enquanto treinava com a seleção chilena.

Os compatriotas vetaram o jogador do amistoso da última quarta-feira, contra o Iraque, na Dinamarca, e foi comentada uma desconfiança de que ele já se apresentou machucado. A versão do Palmeiras é de que o problema apareceu por conta do pouco tempo de recuperação do jogo contra o Paraná e da viagem de mais de 12 horas para Copenhague.

Na semana passada, Gilson Kleina e sua comissão técnica fizeram uma reunião com os médicos para discutir se houve erro com Valdivia, que tem sido poupado de treinos e até de alguns jogos. E a conclusão extra-oficial é de que o jogador tem um físico frágil e, por isso, não deveria ter treinado em alta intensidade dois dias após ter enfrentado o Paraná.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.