Tamanho do texto

Atualmente, o Criciúma é o 17º colocado do campeonato nacional, ocupando a zona de rebaixamento para a Série B

Derrotado fora de casa pela sexta vez no Campeonato Brasileiro, o Criciúma não deve mandar força máxima a campo no confronto desta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), contra a Ponte Preta, pela Copa Sul-Americana. Após ver seu time perder de virada para o Atlético-PR , no último domingo, em Curitiba, o técnico Vadão admitiu que a prioridade do time para o restante do ano é a competição nacional. Por isso, deve poupar alguns jogadores na partida diante dos paulistas.

Atlético-PR bate Criciúma de virada, cola no G4 e aumenta série invicta

"Não dá para casar com duas mulheres ao mesmo tempo. Neste ano, vamos casar com o Brasileirão. A Sul-americana será a amante", afirmou o comandante, mostrando bom-humor, antes de falar sério: "Hoje a Sul-Americana é um incômodo pela nossa situação na tabela do Brasileiro. Nossa prioridade é o Campeonato Brasileiro, mas vamos ver o que conseguimos fazer na Sul-Americana".

Atualmente, o Criciúma é o 17º colocado do Brasileirão, ocupando a zona de rebaixamento para a Série B. No último domingo, teve a chance de vencer a primeira partida fora de casa, mas sofreu a virada para o Furacão.

Para o comandante tricolor, o fato de o time não conseguir vencer longe de seus domínios (são seis derrotas e um empate em sete partidas) é algo preocupante e faz com que não seja possível disputar a Sul-Americana com os principais jogadores.

"No meu modo de entender, e isso foi passado para a presidência ainda antes do jogo contra o Atlético-PR, o melhor é pensar no Campeonato Brasileiro. Até porque a nossa receita do ano que vem não está na Sul-Americana, e sim em permanecer na primeira divisão", disse Vadão, antes de revelar: "Vamos poupar jogadores contra a Ponte Preta. Não dá para ter o mesmo embalo nas duas competições".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.