Tamanho do texto

Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitou a liminar que exigia a suspensão do repasse de verbas do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) para a construção do estádio

Homens trabalhando na obra do estádio do Corinthians na última semana de julho
Getty Images
Homens trabalhando na obra do estádio do Corinthians na última semana de julho

Perto de finalizar as obras de seu estádio, o Corinthians teve mais uma vitória na Justiça na noite desta sexta-feira. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitou a liminar que exigia a suspensão do repasse de verbas do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) para a construção do estádio em Itaquera, zona leste de São Paulo.

A ação popular foi movida pelo advogado Antônio Pani Beiriz, que havia conseguido uma vitória sobre o Corinthians clube alvinegro em novembro do ano passado e interferiu, por algum tempo, no patrocínio da Caixa Econômica Federal ao clube. Apesar do impasse, a equipe do Parque São Jorge reverteu a situação e segue recebendo do banco.

Na liminar negada nesta sexta-feira, o advogado afirmava que o Parque São Jorge estaria penhorado como garantia de dívida fiscal, portanto o Corinthians seria insolvente. O desembargador federal Luís Alberto d'Azevedo Aurvalle, no entanto, rejeitou a ação, que já havia sido recusada anteriormente pela 3ª Vara Federal de Porto Alegre.

Depois de ultrapassar 80% da conclusão das obras, a Arena Corinthians deve ficar pronta em dezembro, cumprindo o prazo estipulado pela Fifa, que usará o estádio para a abertura da Copa do Mundo em 2014. A linha de crédito disponibilizada pelo BNDES é de R$ 400 milhões, sendo que o restante (R$ 420 milhões) vem de incentivos fiscais da prefeitura de São Paulo.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.