Tamanho do texto

"Não me lembro de quantos passei. Fui tirando em velocidade quem tinha pela frente", disse o atacante

Alan Kardec marcou quatro gols nos últimos três jogos, e o último deles mereceu intenso aplauso de Gilson Kleina: na vitória contra o São Caetano , o atacante escapou da marcação de seis adversários para colocar a bola nas redes. Mas o treinador espera ainda mais do camisa 14, que, por enquanto, só tem cinco partidas pelo Palmeiras.

Mesmo sem bronca, jogadores do Palmeiras admitem correções no intervalo

O técnico lembra que o centroavante chegou há cinco semanas após um mês de inatividade, sendo que entrou em campo raramente desde julho de 2012. A previsão do comandante é de que o jogador melhorará à medida que ganhar ritmo, prevendo seu sucesso até 30 de junho, quando acaba o empréstimo do Benfica.

Jogadores comemoram com Alan Kardec
Fernando Dantas/Gazeta Press
Jogadores comemoram com Alan Kardec

"No Benfica ele não estava jogando, e jogou muito pouco no Benfica B. É um jogador que entendeu que é uma contratação de peso, porém temos que avaliar todos os seus testes. E acredito ainda que o Alan Kardec vai evoluir. Por mais que já esteja em um estágio bacana, legal, entendemos ainda que são necessárias algumas situações. Mas está trabalhando muito e é merecedor desse grande momento", apontou.

Kleina teve paciência com Alan Kardec e sentiu que o atleta o entendeu. Foram somente dois jogos como titular, exatamente sair do banco para fazer dois gols sobre o Icasa em pouco mais de meia hora de atuação. Na sexta-feira, diante do Bragantino, já desde o primeiro minuto em campo, marcou um golaço ao completar sequência de dribles de Valdivia com um chute de primeira no ângulo.

No estádio Anacleto Campanella, porém, o centroavante fez melhor. O time perdia por 1 a 0 quando o camisa 14, aos dez minutos, venceu disputa de cabeça no meio-campo, já dominou limpando dois marcadores, foi avançando à área passando por mais três e ainda abriu espaço diante de um sexto adversário antes de bater na saída do goleiro.

"Foi uma pintura de gol com mérito total dele, que pegou a bola no meio-campo e entrou na galeria dos grandes gols do Palmeiras. Fico muito feliz que o Palmeiras se fez vencedor com uma pintura dessas", comemorou Kleina. "Quero que ele faça de tudo pra continuar com esse desempenho. O Alan não só tem sido muito importante, como fez um golaço. É o titular", sentenciou.

O atacante admite a beleza do lance. "Não me lembro de quantos passei. Fui tirando em velocidade quem tinha pela frente", disse, ressaltando, contudo, que não se empolga. "É necessário ter os pés no chão. Foi mais um gol bonito, reconheço, mas tem hora que será de bico, na sobra ou só empurrando para o gol. O importante é ajudar", ensinou.

E a evolução que Kleina pode esperar é a inteligência tática do centroavante, que já foi ponta e até camisa 10 no Santos, no ano passado. "Jogo em função da partida. Em São Caetano, fiquei um pouco mais recuado, tentando buscar mais a bola com dois atacantes rápidos na frente, mas ajudei também um pouco pelos lados. Tivemos várias alterações de esquema durante a partida e todos se empenharam. Todos estão de parabéns pela vitória", aplaudiu o autor de mais um golaço no Palmeiras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.