Tamanho do texto

Clássico Gre-Nal terminou empatado por 1 a 1 e ainda contou com três jogadores expulsos

A arbitragem de Fabrício Neves Corrêa gerou fortes reclamações dos dois lados depois do empate por 1 a 1 no primeiro Gre-Nal da Arena. Indignado com as duas expulsões do Internacional, o presidente colorado, Giovanni Luigi, reclamou pelo gremista Adriano não ter recebido cartão vermelho.

"Quem justificou a maior crítica à arbitragem não foi o Internacional, e sim o próprio treinador do Grêmio, que tirou o Adriano ainda no primeiro tempo, porque o juiz não teve a coragem de tirá-lo por duas oportunidades, quando deveria ter dado o segundo amarelo. O Inter mostrou bravura e qualidade, mas a arbitragem foi lamentável", contestou o mandatário.

Veja a classificação e a tabela de jogos do Campeonato Brasileiro

Adriano levou sua primeira advertência no início do confronto e virou alvo de reclamações quando puxou D’Alessandro no meio-campo. O argentino queria a expulsão do adversário, mas o árbitro só marcou a falta. Pouco depois, aos 39 do primeiro tempo, o técnico tricolor Renato Gaúcho tirou o volante para colocar Ramiro.

Grêmio e Internacional empataram por 1 a 1 na Arena do time tricolor
Edu Andrade/Fatopress/Gazeta Press
Grêmio e Internacional empataram por 1 a 1 na Arena do time tricolor

Ao saber das declarações do presidente rival, o treinador confirmou que seu jogador poderia ter sido excluído, mas questionou se Willians também não merecia a expulsão no início do confronto, no pênalti que gerou o gol de Barcos.

"O Adriano deveria (ter sido expulso), mas o Willians também tinha de levar o cartão, quando fez pênalti. Não adianta ver só um lado da moeda. Se o jogador tem amarelo e faz pênalti, tem de levar outro. É muito fácil criticar a arbitragem, mas acho que os dois deveriam ter sido expulsos", afirmou.

Dentro de campo, o jogador que mais mostrou indignação foi o meia D’Alessandro, que deixou o gramado gritando. "Não vou falar da arbitragem, mas foi uma vergonha. Vocês (jornalistas) é quem tem de falar, porque fomos prejudicados", disparou.

As três expulsões do jogo saíram no segundo tempo. Aos 32, o árbitro considerou que Jorge Henrique impediu uma chance clara de gol de Barcos e mandou o colorado mais cedo para o vestiário. Já nos acréscimos, Fabrício e Werley também acabaram excluídos, por conta de lances ríspidos.

O técnico colorado Dunga ainda lamentou pelas faltas sofridas pelo atacante Leandro Damião na partida. "Sem camisa, ele está todo arranhado, parece que foi para a guerra", reclamou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.