Tamanho do texto

Adalberto Baptista diz que declaração do goleiro foi dada de cabeça quente, que elenco são-paulino é bom e que má fase é apenas psicológica

Adalberto Baptista foi o único dirigente do São Paulo a comparecer ao CT da Barra Funda nesta quinta-feira, dia seguinta à derrota por 2 a 0 para o Corinthians pela Recopa Sul-Americana. Inicialmente presente apenas para acompanhar o treino regenerativo, o diretor de futebol falou com a imprensa e rebateu a afirmação de Rogério Ceni de que o clube do Morumbi tenha parado no tempo futebolisticamente. Mas desviou o assunto quando quesionado o por quê de não concordar.

O diretor de futebol Adalberto Baptista acompanha o treino do São Paulo no CT da Barra Funda
FERNANDO DANTAS / Gazeta Press
O diretor de futebol Adalberto Baptista acompanha o treino do São Paulo no CT da Barra Funda


Quem está com a razão, Adalberto Baptista ou Rogério Ceni? Opine

“Eu gosto de analisar as manifestações quando são feitas de cabeça mais fria. Todos sabem que ele (Rogério) está em vias de se aposentar e gostaria de encerrar a carreira com um título. Todos sabem que ele ainda está com uma lesão no pé direito e isso tem atrapalhado o desempenho dele. A gente prefere analisar as coisas mais friamente e não depois de uma derrota para um rival”, falou Baptista.

Diante da insistência dos jornalistas, o dirigente foi breve: “Não concordo”.

Irritado, Ceni admite superioridade do rival: 'São Paulo parou no tempo'

Na visão de Baptista, o elenco do São Paulo é qualificado e más fases como a atual “acontecem”. Para ele, o problema atual é psicológico. Desde 1936 o time do Morumbi não perdia seis partidas seguidas.

Veja também: Derrota na Recopa expõe falhas da gestão de Juvenal Juvêncio no São Paulo

“Primeiro, essa série infelizmente acontece. No futebol isso acontece. A realidade do São Paulo é ter sido o melhor do segundo turno do Brasileirão do ano passado, campeão da Sul-Americana e melhor da primeira fase do Paulista. O São Paulo sempre está brigando por títulos e vamos trabalhar pra reverter essa situação”, afirmou o diretor.

E mais: Novo fracasso mostra que Rogério perdeu chance de se aposentar por cima em 2012

“Futebol não é cartesiano. Eu nao tenho dúvidas de que a falta de confiança em algumas das derrotas é o primeiro fator. Nao dá para fazer análise de elenco com base nessa série de derrotas. Todos estamos tristes com o que está acontecendo, mas esse elenco é qualificado para dar a volta por cima. Tanto a diretoria como a comissao tecnica tem convicção disso”, completou Baptista.

E o São Paulo não terá muito tempo para juntar seus cacos. A equipe volta a entrar em campo no próximo sábado contra o Cruzeiro pelo Brasileirão.