Tamanho do texto

Mineiros fazem primeira partida da final da Copa Libertadores no Defensores del Chaco

Torcedor incentiva o Atlético durante treino em Luque na véspera da final da Libertadores
Jorge Adorno/Reuters
Torcedor incentiva o Atlético durante treino em Luque na véspera da final da Libertadores

O Atlético-MG está fazendo história na Libertadores, e pela primeira vez, decide o título da competição de clubes mais importante das Américas. Nesta quarta-feira, a partir das 21h50, vai começar a escrever o penúltimo capitulo de uma trajetória épica, que jamais será esquecida pela fanática torcida alvinegra.

O Atlético-MG será campeão da Libertadores? Opine

O duelo contra o Olimpia, no estádio Defensores del Chaco, não é novidade para os atleticanos, mas a possibilidade de levantar a taça da Libertadores é inédita. "Uma vez até morrer", verso do hino do clube que pode se transformar em realidade, consagrando o Atlético-MG como campeão da América.

A mobilização pela conquista do título é geral entre jogadores e torcida. Logo após a classificação contra o Newell’s Old Boys, torcedores já começaram a acampar em frente à sede do Atlético na busca por um ingresso para assistir de perto, o que pode ser o maior momento da centenária história do clube.

O atacante Diego Tardelli, um dos ídolos da torcida alvinegra, reconhece o esforço da torcida, que tem apoiado e transformado o Independência em um verdadeiro terror para os adversários. O jogador, porém, afirma que os torcedores só estão animados graças aos jogadores, que dentro de campo tem correspondido. Tardelli deixa claro que sonha em presentear a torcida atleticana com o título da Libertadores.

"A culpa da torcida acabar o jogo e ficar dias na fila para comprar ingresso é nossa. Nosso torcedor é louco, fanático pelo clube. É um momento maravilhoso, que há anos não se vivia. Vamos fazer de tudo para dar o título de presente. A torcida jogou com a gente desde o ano passado. Estamos fechados com ela", declarou.

Sobre o time que entra em campo contra o Olimpia, Cuca tem ao menos uma baixa confirmada. O meia-atacante Bernard recebeu o terceiro cartão amarelo na semifinal e terá que cumprir suspensão nesta quarta-feira. O substituto será Luan. Se Bernard não joga, Cuca ganhou o reforço do capitão Réver, liberado de punição de dois jogos por ser expulso nas quartas de final.Apelidado de rei de copas, o Olimpia aposta na tradição para superar os mineiros e conquistar a Libertadores pela quarta vez. O time de Assunção adotou a estratégia de provocação, para esquentar ainda mais a decisão contra o Galo. Na semana passada, o site do Olimpia estampou as três taças já conquistas pela equipe e avisou que a quarta estava a caminho.

Os jogadores do time paraguaio também entraram na onda, caso mais específico do atacante Salgueiro, que projeta um ‘belo horizonte’ para o Olimpia na segunda partida, que será disputada na capital mineira. O jogador já foi campeão da Libertadores dentro do Mineirão, defendendo o Estudiantes, contra o Cruzeiro, e agora quer repetir a dose.

"São duas disputas diferentes. Há de quatro anos atrás foi muito linda e me sinto orgulhoso de ter integrado aquele elenco. Espero que aconteça o mesmo agora e possamos sair como campeões. Será fundamental ganhar em casa para realizar uma boa partida em Belo Horizonte. Nosso time possui história, vencemos três copas. Merecemos respeito", afirmou.

FICHA TÉCNICA
OLIMPIA X ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Defensores del Chaco, em Assunção (PAR)
Data: 17 de julho de 2013, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Arbitro: Néstor Pitana (ARG)
Assistentes: Hernan Maidana e Juan P. Belati (ambos da Argentina)

OLIMPIA: Silva; Candia, Manzur, Miranda e Benítez; Mazacotte, Pittoni, Aranda e Alejandro Silva (Prono); Bareiro e Salgueiro.
Técnico: Ever Hugo Almeida

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete (Josué), Tardelli e Ronaldinho; Luan e Jô.
Técnico: Cuca