Tamanho do texto

Com fim da punição, time de Gilson Kleina pode voltar a mandar partidas na capital e joga no Pacaembu pela primeira vez desde a eliminação da Libertadores

Palmeiras vem de vitória sobre o Oeste
CÉLIO MESSIAS/Gazeta Press
Palmeiras vem de vitória sobre o Oeste

Com o final da punição que obrigava o mando das partidas longe da capital paulista, o Palmeiras finalmente está de volta ao Pacaembu. O time entra em campo às 21 horas (de Brasília) desta sexta-feira pela 8ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro para encarar o lanterna ABC e espera resgatar a relação íntima com a torcida, abalada desde a eliminação na Libertadores.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"A última vez que nos apresentamos no Pacaembu (Tijuana) tivemos o apoio do torcedor, que comprou a ideia na Libertadores, mas infelizmente não pudemos dar a classificação. A torcida foi o ingrediente principal para passarmos de fase em primeiro e que aconteça de novo na Série B, que possamos ter o Pacaembu como casa e adquirir identidade" relembrou o técnico Gilson Kleina.

Além de contar com as arquibancadas cheias depois de quatro partidas com baixo público em Itu e Presidente Prudente, o treinador palmeirense conta com os torcedores para ver o desempenho de seus comandados melhorar ainda mais. O apoio incondicional, avisa Kleina, só irá aparecer se os jogadores demonstrarem entrega dentro de campo.

"O jogador ficou contagiado na Libertadores, surgiu a frase de "sangue na veia" e queremos manter dessa forma: com dedicação e entrega para fazer o torcedor ver que tem um jogador querendo a vitória, vendo o sentimento dele dentro do campo. No futebol nem tudo acontece como pensamos, cada jogo é uma história e vamos ter que correr igual ou mais ao jogo contra o Oeste. E com o apoio do torcedor facilita muito", alertou.

Dentro das quatro linhas, o momento também é positivo para o técnico. Apenas o volante Léo Gago e meia Rondinelly, lesionados, e os recém-chegados Sebastian Eguren, Felipe Menezes e Alan Kardec não reúnem condição de jogo, cenário muito diferente do que o apresentado nos últimos meses. O paraguaio Mendieta pode ficar de fora do confronto devido a uma gripe e por motivos burocráticos, enquanto o zagueiro Vilson, recuperado de lesão, fica no banco de reservas.

Se o Palmeiras manterá a escalação da última rodada, quando goleou o Oeste, o ABC virá a São Paulo repleto de mudanças para tentar espantar a má fase na temporada. E para tentar começar a reação na Série B, o dono do pior ataque da competição (três gols marcados) terá que furar a melhor defesa do torneio (três gols sofridos).

A necessidade de melhorar o poder de fogo, no entanto, não desespera o técnico Waldemar Lemos, que sacou Felipe Alves para a entrada de Rodrigo Santos. Assim, o Mais Querido entrará em campo no Pacaembu com um 4-5-1, tendo Pingo como único atacante de ofício, três volantes e dois meias. Na defesa, Flávio Boaventura entrou na vaga de Vinicius e, na lateral direita, Renato assume o posto de Thiaguinho.

Responsável pela criação das jogadas abecedistas, Erick Flores quer ver os companheiros se superando para tentar deixar a lanterna da Série B. "Todos estamos cientes da situação. Temos que ser cobrados, precisamos trabalhar, treinar bastante, que só com muito trabalho tiraremos o ABC dessa situação e daremos a volta por cima", afirmou o meia à Tribuna do Norte .

FICHA TÉCNICA -  PALMEIRAS X ABC
Local: Pacaembu, em São Paulo
Data: 12 de julho de 2013, sexta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Antonio Denival de Morais (PR)
Assistentes: Marcos Rogério da Silva e Pedro Martinelli Christino (ambos do PR)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Luis Felipe, André Luiz, Henrique e Juninho; Charles, Márcio Araújo, Wesley e Valdivia; Vinicius e Leandro
Técnico: Gilson Kleina

ABC: Lopes; Renato, Flávio Boaventura, Lino e Guto; Edson, Bileu, Rodrigo Santos, Tony e Erick Flores; Pingo
Técnico: Waldemar Lemos

*Com Gazeta