Tamanho do texto

Atual gerente de futebol do clube, ele só foi se recuperar das duas eliminações para o arquirrival, o Palmeiras, em 2012

Edu Gaspar é gerente de futebol do Corinthinas
Jason Cairnduff / Action Images
Edu Gaspar é gerente de futebol do Corinthinas

Edu Gaspar deixou o Corinthians e o Brasil em 2001 com um currículo cheio de títulos - do Paulista, da Copa do Brasil, do Campeonato Brasileiro e do Mundial de Clubes da Fifa -, mas sem o da Libertadores. Atual gerente de futebol do clube, ele só foi se recuperar das duas eliminações para o arquirrival, o Palmeiras, em 2012.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Após o título inédito, na última temporada, Edu se livrou de um espinho. "Eu estava engasgado. Em 2000, o time era muito forte, mas aconteceu aquilo. Depois eu voltei a ficar envolvido com o futebol daqui e resolvi que iria fazer de tudo", revelou em entrevista ao site oficial do clube.

Exaltando o trabalho feito desde que assumiu um cargo na diretoria do Timão, Edu Gaspar afirmou que a taça da competição continental veio ao Parque São Jorge através da vontade do elenco. "Uma mentalidade vencedora foi criada. Via isso no semblante dos jogadores no vestiário", contou.

Leia mais: São Paulo não vence o Corinthians no Morumbi há nove jogos

Perguntado sobre o momento mais marcante durante a Libertadores de 2012, Edu Gaspar elegeu o gol feito pelo volante Paulinho sobre o Vasco, nas quartas de final. A comemoração com o técnico Tite, que, expulso, assistiu ao jogo da arquibancada do Pacaembu, foi o ápice.

"A partida contra o Vasco e o abraço que dei no Tite após o gol foram muito marcantes. Aquilo deu uma força emocional para o time. O Tite me pediu pra ficar do lado dele. Depois do gol, quase caímos de lá de cima, pelo amor de Deus", brincou Edu Gaspar.

Para Edu Gaspar, o título da Libertadores é dedicado aos torcedores, fundamentais na campanha do elenco, segundo ele. "Eles mereciam. Sabíamos da importância do título para eles. Era o maior prêmio que poderíamos dar, por tudo o que eles vinham fazendo", finalizou.