Tamanho do texto

Ídolo do Goiás entre 1997 e 2003, atacante de 35 anos planeja encerrar a carreira no clube

Um dos grandes ídolos da história do Goiás, Araújo foi apresentado de forma oficial nesta quarta-feira, quase dez anos após deixar o Serra Dourada. Aos 35 anos, o atacante espera reviver os bons momentos no clube onde jogou entre 1997 e 2003. Neste período transformou-se no maior artilheiro esmeraldino de todos os tempos, com 136 gols marcados.

Araújo voltou ao Goiás, onde brilhou no início de carreira
Site oficial do Goiás
Araújo voltou ao Goiás, onde brilhou no início de carreira

"Algumas pessoas disseram que eu não vim para o Goiás antes porque minha esposa não queria, mas não é verdade. As coisas não deram certo por motivos contratuais mesmo, tanto no exterior como aqui no Brasil. Mas retornei com a esposa e com os filhos, e eles já se adaptaram a Goiânia, que é uma bela cidade", disse Araújo em sua primeira entrevista coletiva.

Sem poder jogar no Campeonato Goiano devido ao fim do prazo de inscrições, o jogador se mostra disposto a ajudar na Copa do Brasil, e espera estrear contra o Santo André, na próxima semana.

"Por mim já seria domingo, mas infelizmente não será possível. Estou à disposição do treinador, ele pode contar comigo assim que precisar. Eu estava treinando normalmente e, embora não tenha feito muitas partidas, corria em média 11 Km por jogo", declarou.

Araújo diz estar pronto para lidar com eventuais cobranças pelo mesmo futebol apresentado há uma década.

"Estou tranquilo. Sei que a responsabilidade será muito grande pela história que eu tenho no Goiás. Estou preparado, vou saber lidar com isso. Estou muito ansioso para voltar a jogar com jogadores como o Harlei, que também é experiente e ídolo", afirmou.

O atacante, que admite já pensar em aposentadoria, assinou contrato com o Goiás até o fim de 2014.

"Chega um momento em que a gente precisa começar a planejar o fim da carreira. Ainda não quero parar de jogar futebol, mas espero cumprir meu contrato e depois ampliar meu vínculo com o Goiás. Se eu parar de jogar daqui uns três ou quatro anos aqui no Goiás, ficarei muito feliz", falou.