Tamanho do texto

"Ficou um gostinho amargo porque a gente sabe que poderia ter saído daqui com uma vitória", disse o atacante

Emerson não teve na Bombonera o mesmo sucesso que obteve contra o Boca Juniors no Pacaembu. O atacante não fez uma boa partida e lamentou o desempenho geral do Corinthians, que voltará para São Paulo em desvantagem de 1 a 0 nas oitavas de final da Copa Libertadores.

Tite vê problemas na criação corintiana, mas vê placar "plenamente reversível"

"Não lembro de a gente ter jogado tão mal em uma partida de tamanha importância", afirmou o Sheik, alvo favorito dos adversários e dos torcedores locais, que não se esquecem de seus gols e provocações na última edição da competição sul-americana.

O camisa 11 alvinegro ainda acha que vai rir por último mais uma vez. "Ficou um gostinho amargo porque a gente sabe que poderia ter saído daqui com uma vitória, até uma vitória boa, mas não tem nada perdido. Vamos jogar a segunda partida com apoio do torcedor, no campo em que estamos acostumados."

A volta ao Pacaembu foi também apontada por outros jogadores como motivo de otimismo. Ter a Fiel ao lado e não precisar lidar com a impressionante torcida do Boca, acreditam os atletas, fará o confronto pender para o time de maior qualidade técnica.

Tite inverte substituição da final do ano passado, mas não tem o mesmo resultado

"A torcida ajuda muito. Infelizmente, não tivemos a nossa aqui, mas vai ser diferente no Pacaembu", comentou Alexandre Pato, lembrando que os torcedores do Corinthians estão impedidos de comparecer aos confrontos fora de casa na Libertadores.

"Lá, quem tem de impor o ritmo é o Corinthians. A gente sempre foi muito forte em casa. Perdemos aqui, mas temos totais condições de reverter a situação no Pacaembu", disse Cássio. "Futebol é assim. Jogando em casa, com a torcida, o time cresce", concordou Danilo.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.