Tamanho do texto

Goleiro fez defesas difíceis durante o empate do Palmeiras com o Santos, mas não pegou nenhum pênalti e viu o time ser eliminado do Paulista

Bruno comemora gol do Palmeiras na Vila Belmiro
Djalma Vassão/Gazeta Press
Bruno comemora gol do Palmeiras na Vila Belmiro

Bruno despertou desconfiança da torcida ao falhar nos dois gols da derrota para o Ituano, no domingo, mas reagiu de forma decisiva. Neste sábado, fez defesas difíceis para garantir o empate em 1 a 1 com o Santos. O goleiro, porém, não quis se empolgar: ele não pegou nenhum pênalti e o Palmeiras foi eliminado no Campeonato Paulista.

"Não foi um dos melhores jogos da minha carreira porque não ganhamos", disse o camisa 1, sincero, mas ciente de que executou intervenções decisivas para que sua equipe tivesse condições de empatar o clássico na Vila Belmiro no fim do segundo tempo e ter chance de se classificar nas cobranças de penalidades.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Entre as principais defesas de Bruno, está uma cara a cara com Neymar, na pequena área, em contra-ataque do Santos no segundo tempo. Antes do intervalo, ele ainda espalmou um arremate forte de Edu Dracena, que fez questão de cumprimentá-lo logo após a defesa.

Leia também: Santos elimina o Palmeiras nos pênaltis e avança às semifinais

Mas o substituto de Fernando Prass, que ficará fora por mais cinco semanas devido a uma lesão no ombro esquerdo, fala em nome do grupo. E lamenta pelos erros de Kleber e Leandro nas cobranças de pênalti, considerando que o Verdão foi castigado ao não sair da Vila Belmiro classificado.

"Foi um castigo. Erramos no começo do jogo, tomamos o gol, o Santos se fechou muito e ficamos muito tempo sem conseguir atacar nem chutar uma bola no gol do Rafael. Mas nunca desistimos. Lutamos até o final e empatamos. Pena que perdemos nos pênaltis", lamentou o goleiro, que levou gol aos 12 minutos em jogada de Neymar com Cícero, sendo que ambos estavam desmarcados no lance.