Tamanho do texto

Atacante foi o responsável por balançar as redes e empatar o jogo para o Palmeiras contra o Santos na Vila Belmiro

Kleber recebe o abraço de Marcelo Oliveira após gol
Ricardo Saibun/ Gazeta Press
Kleber recebe o abraço de Marcelo Oliveira após gol

Neste sábado, Kleber acumulou seu segundo erro decisivo em menos de três meses no Palmeiras . Após perder gol de forma displicente em derrota para o Tigre, o atacante bateu pênalti no meio do gol e teve sua cobrança defendida pelo pé de Rafael na eliminação nas quartas de final do Paulista . Mas preferiu ressaltar o gol que fez no empate por 1 a 1 no tempo normal com o Santos, na Vila Belmiro.

"Saio mais seguro. Muito triste pela eliminação e pelo pênalti perdido, mas é claro que um gol sempre dá confiança. No próximo jogo, estarei mais ainda para poder marcar", afirmou, já pensando no confronto contra o Tijuana, no México, pelas oitavas de final da Libertadores.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Gilson Kleina contou que o camisa 9 pediu para abrir as cobranças para o Palmeiras, pois já se sentia confiante pela cabeçada certeira nas redes do Santos para empatar o clássico aos 38 minutos do segundo tempo. E a explicação do jogador pelo erro foi bem conformada.

Leia também: Wesley provocou e levou cartão, mas diz que "deve muito" ao Santos

"Fui colocar no meio, mas foi um pouco forte e deu tempo de o Rafael pegar", comentou, até considerando normal a falha que custou a sequência da equipe no Estadual. "Pênalti é assim. Não podemos errar, mas infelizmente aconteceu. Um dia erramos e no outro fazemos."

Leandro, artilheiro do time no ano com seis gols - e atuando só no Paulista -, teve postura diferente ao falar do pênalti que perdeu. "Pênalti bem batido é aquele que entra, peço desculpas à torcida do Palmeiras", falou o jogador de 19 anos.

Veja ainda: "Não foi o meu melhor jogo porque não ganhamos", lamenta Bruno

Kleber, por sua vez, preferiu falar de seu primeiro gol pelo Palmeiras. O jogador, que não jogava desde 20 de março após tratar de tendinite no joelho direito e de desconforto na coxa direita, considera que tornou efetivo o empenho palmeirense. O atacante, que saiu do banco no intervalo, empatou o jogo quando colegas já caíam no gramado apontando cansaço.

"Não desistimos de buscar o empate em momento algum, isso mostra a garra do nosso grupo. Parabenizo o nosso elenco por isso. E o Santos também está de parabéns pela classificação", discursou o camisa 9 emprestado pelo Porto.

*Com Gazeta