Tamanho do texto

Presidente do clube elogia espírito de luta da equipe, eliminada nas quartas de final do Campeonato Paulista pelo Santos nos pênaltis

Paulo Nobre, presidente do Palmeiras
Gazeta Press
Paulo Nobre, presidente do Palmeiras

O Palmeiras tem como prioridade na temporada subir na Série B do Campeonato Brasileiro. Por isso, ser eliminado nas quartas de final do Paulista, ainda mais diante do Santos, na Vila Belmiro, nos pênaltis, é motivo de orgulho. Esse é o pensamento de Paulo Nobre, que elogiou o time por concluir sua missão no Estadual.

"Estou com muito orgulho do nosso grupo, fiz questão de cumprimentar todos os jogadores, que não deixaram de lutar até o último minuto do jogo É um time que tem brio e vergonha na cara", enalteceu o presidente, que concedeu entrevista coletiva após a primeira eliminação de sua gestão.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"O Santos teve competência para ganhar o jogo, não podemos tirar o mérito do time adversário. Jogar na Vila Belmiro é sempre um jogo muito difícil, mas o Palmeiras cumpriu o seu papel", ressaltou o dirigente, satisfeito por ver o empenho da equipe até empatar o clássico com gol de Kleber, aos 38 minutos do segundo tempo, momento em que jogadores já caíam no gramado reclamando de cansaço.

"É um time que já provou que não se abate quando toma um gol, já aconteceu com o Corinthians, que teve até um início de partida muito bom contra nós", disse Nobre, lembrando do empate por 2 a 2 no Derby deste ano. "Este time não se abate, não desiste. Foi assim no jogo contra o Linense, quando venceu com gol no último minuto, e foi assim hoje (sábado)."

Como prova de sua felicidade com os comandados de Gilson Kleina, Paulo Nobre repetiu durante toda a entrevista o termo com o qual definiu a equipe de cinco vitórias consecutivas antes da atual sequência de três partidas sem triunfar: sangue na veia.

"Toda desclassificação não pode ser considerada uma coisa positiva, mas o time caiu de pé, é um time que se doa em campo, é a característica desse Palmeiras. O Palmeiras 2013 é um Palmeiras sangue na veia", indicou, exigindo o mesmo empenho na terça-feira diante do Tijuana, nesta terça-feira, no México, pelas oitavas de final da Libertadores.

*Com Gazeta