Tamanho do texto

Time comandado por Abel Braga ocupa a primeira colocação na tabela de classificação do Grupo 8, com oito pontos, e precisa de um empate com os venezuelanos

Campeão da Copa Libertadores da América em 1998, quando ainda defendia o Vasco e atuava como lateral esquerdo, o meio-campista Felipe sabe que não é fácil conquistar o título da competição continental. Agora defendendo o Fluminense , o atleta adotou postura cautelosa para o decisivo confronto com o Caracas (Venezuela), que será realizado nesta quinta-feira, às 22h (de Brasília), em São Januário.

Felipe crê em vaga do Flu na Libertadores, mas prega respeito ao Caracas
Divulgação
Felipe crê em vaga do Flu na Libertadores, mas prega respeito ao Caracas

Em busca de garantir vaga nas oitavas de final, o time comandado por Abel Braga ocupa a primeira colocação na tabela de classificação do Grupo 8, com oito pontos, e precisa de um empate com os venezuelanos para avançar no torneio. O Caracas, com seis pontos, necessita de uma vitória em São Januário para seguir na competição continental. Grêmio (sete pontos) e Huachipato (sete pontos) também disputam vaga e duelam no mesmo dia, no Chile.

“Hoje, o respeito tem que existir. Antigamente era primordial você ganhar das equipes que não eram da Argentina, mas hoje o futebol evoluiu bastante. O jogo contra o Caracas será muito difícil. Eles virão com menos responsabilidade e buscarão o ataque o tempo todo. Será uma partida perigosa. Temos que ter atenção, respeitar, mas se impor dentro de casa e conseguir a classificação”, explicou.

Contratado pelo Fluminense junto ao Vasco no início desta temporada, Felipe tem recebido poucas oportunidades entre os titulares. Peças importantes no elenco que conquistou o título do Campeonato Brasileiro em 2012, os meio-campistas Deco, Thiago Neves e Wagner tem a preferência do treinador Abel Braga. Entretanto, o fato não desanima o experiente jogador, de 35 anos.

“Eu vim para contribuir da melhor maneira possível, independente de quantos minutos eu fique dentro de campo. O importante é todo mundo estar com o foco no mesmo objetivo. É um grupo qualificado e temos que respeitar. Eu vim para somar. No futebol não existe segredo. O vestiário é o mesmo ambiente. É claro que a amizade você vai adquirindo aos poucos, mas estou muito bem adaptado. Só tenho a agradecer a todos e tentar contribuir dentro de campo”, encerrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.