Tamanho do texto

iG Esporte selecionou seis possíveis candidatos para o cargo mais importante da entidade máxima do futebol brasileiro: Romário, Ronaldo, Andrés Sanchez, Zico, Raí e Bebeto

O mandato de José Maria Marin à frente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) termina após a Copa do Mundo de 2014. E se a gestão do atual presidente vem sendo alvo de muitas críticas, fica no ar a pergunta: que nome seria um bom substituto?

O iG Esporte selecionou seis possíveis candidatos para o cargo mais importante da entidade máxima do futebol brasileiro: Romário, Ronaldo, Andrés Sanchez, Zico, Raí e Bebeto. Confira abaixo um breve perfil de cada e participe da enquete que está na home do iG  e utiliza a exclusiva plataforma Real Time, com atualização do resultado em tempo real.

Romário
Maior opositor da CBF atualmente, o deputado federal vem ganhando destaque por criticar as gestões de Ricardo Teixeira e José Maria Marin. O ex-jogador já questionou o fato do atual presidente ter oferecido jantares por apoio na Confederação e acusa que a eleição na entidade será comprada.

Ronaldo
O ex-atacante e hoje empresário está engajado com a Copa do Mundo. Vem atuando como vice-presidente do COL (Comitê Organizador Local), onde trabalha ao lado de Marin. A diferença para o atual mandatário da CBF é que o Fenômeno ainda goza de boa popularidade.

Andrés Sanchez
Antigo aliado da CBF, onde atuou como diretor de seleções, cartola é talvez o principal responsável pela reestruturação do Corinthians, clube que presidiu de 2007 a 2011. Foi citado por Romário como um bom candidato a suceder Marin.

Zico
O eterno camisa 10 do Flamengo já tem experiência como dirigente, uma vez que já trabalhou no como homem forte do futebol do próprio clube da Gávea por quatro meses na gestão Patrícia Amorim. A relação não terminou bem e ele deixou o cargo devido a problemas com dirigentes, mas a torcida ficou ao seu lado.

Raí
Também foi indicado por Romário como um bom candidato. Embora não tenha experiência como cartola de futebol, o ex-jogador dirige a entidade filantrópica Gol de Letra. É também um dos idealizadores da organização Atletas pela Cidadania, que defende causas sociais.

Bebeto
Parceiro de Romário na Copa do Mundo de 1994, é hoje deputado estadual, empresário de jogadores e membro do conselho de administração do COL. Foi coordenador das categorias de de base da CBF durante a gestão Marin, mas deixou o cargo após apenas 41 dias por “não conseguir se dedicar totalmente à função”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.