Tamanho do texto

"Se não tomássemos dois gols de bobeira, como tomamos, o resultado seria outro", disse o técnico sobre o jogo contra o Criciúma

A derrota para o Criciúma, no Orlando Scarpelli, na tarde deste domingo, não abalou o técnico do Figueirense, Adilson Batista. Na entrevista coletiva que concedeu após a partida, o treinador preferiu exaltar a boa exibição da equipe e a classificação antecipada na Copa do Brasil, contra a Desportiva Ferroviária, na última quarta-feira, e colocou em segundo plano as duas derrotas seguidas no Estadual – contra Avaí e Tigre.

“Nós jogamos bem (contra o Criciúma), rodamos a bola, trabalhamos, invertemos, tivemos paciência, criamos. Se não tomássemos dois gols de bobeira, como tomamos, o resultado seria outro. O volume de jogo foi nosso. Só no segundo tempo tivemos um pouco mais de dificuldades. Aí apareceu o cansaço do jogo de quarta”, disse.

Adilson Batista, técnico do Figueirense
Site oficial
Adilson Batista, técnico do Figueirense

Adilson se queixou da falta de apoio da torcida, principalmente no segundo tempo, quando o treinador alvinegro foi alvo de vaias.

“Nós tivemos um jogo desgastante na quarta, chuva, campo pesado, mas revertemos. Viagem, trabalho (para a gente), e o adversário descansando. Nós crescemos no primeiro tempo. Mesmo com o dois a zero, nós fizemos o gol, e se tivéssemos o incentivo adequado, poderíamos reverter a situação. Nessa reta final, eles (torcedores) vão ser importantes. Ninguém estava brigando, ninguém estava discutindo, eu só estava reivindicando uma ajuda deles, que eu acho que é muito importante. Não é fácil você remontar um time, a autoestima. Eu vejo o campo do Criciúma lotado. Jogamos quarta-feira, tinham 7 mil pessoas lá (no Espírito Santo)”, afirmou.

Três jogadores do Figueirense que estavam pendurados receberam o terceiro cartão amarelo, e desfalcarão a equipe na partida contra o Juventus-SC, pela última rodada do returno do Estadual: Marcelo Toscano, Botti e Willian Magrão. Expulso, o zagueiro Douglas também não joga no próximo domingo, às 16 horas (de Brasília, em Jaraguá do Sul.

“O Douglas tem crédito. Evidente que ele cometeu um erro, foi um pouco imprudente, e aí o Héber (Roberto Lopes, árbitro da partida) agiu corretamente. Nós temos consciência de que precisamos melhorar", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.