Tamanho do texto

Ex-jogador virou garoto-propaganda do jogo e André Akkari, brasileiro campeão do mundo, espera que presença de Ronaldo melhore imagem do pôquer no país

Ronaldo é garoto-propaganda da PokerStars
Divulgação/9ine
Ronaldo é garoto-propaganda da PokerStars

Ronaldo acertou na última semana um contrato para ser o garoto-propaganda no Brasil da PokerStars , a principal marca do pôquer mundial. Pelo acordo, ele terá de jogar com internautas e estar presente em alguns torneios pelo país para difundir um dos esportes mentais que mais crescem no mundo, mas que ainda esbarra no preconceito que sofrem os jogos de azar. 

André Akkari, campeão de um dos eventos do Campeonato Mundial de Pôquer em 2011, espera que o anúncio de Ronaldo como rosto do esporte ao menos diminua a impressão geral de o pôquer ser só mais um jogo de cartas. Akkari tem 38 anos, é profissional do pôquer desde 2005 e tem sua carreira agenciada pela 9ine, empresa de Ronaldo.

"O azar é de quem não joga", diz Akkari. "O nome pôquer ainda vem carregado de preconceito, mas acho que é mais falta de informação. É um esporte mental, reconhecido pelo Ministério do Esporte e com grande apelo no exterior. Ajuda a desenvolver raciocínio e te faz conhecer a verdadeira personalidade das pessoas. E o Ronaldo, como um cara reconhecido no mundo inteiro, um esportista, pode mostrar essa verdadeira identidade do pôquer", completou. 

Veja fotos da carreira de Ronaldo:


Para não passar vergonha nos torneios em que vai participar, Ronaldo tem recebido aulas de Akkari. Ele elogia a inteligência do ex-jogador, mas alerta Ronaldo que para ser um “Fenômeno” também com as cartas é preciso de dedicação e estudo. Um tempo que para quem acumula tantas funções pode ser um problema.

André Akkari venceu o campeonato mundial de pôquer em 2011 e faturou mais de R$ 1 milhão
Divulgação/9ine
André Akkari venceu o campeonato mundial de pôquer em 2011 e faturou mais de R$ 1 milhão

Comentarista da TV Globo, membro do Comitê Local da Copa e com compromissos em sua agência 9ine, Ronaldo não teria como se preparar par ser jogador de pôquer profissional. “Para ser um jogador de pôquer profissional é preciso dedicação de 10 a 12 horas de estudo. Hoje eu estudo pelo menos três horas por dia. Não quero me colocar no lugar dele, mas com essa agenda, de representante da Copa, compromissos com a Fifa, não consigo vê-lo nesse nível”, disse Akkari. "Mas o Ronaldo tem o DNA do competidor, está nele essa vontade de vencer e ele tem potencial, mesmo não sendo profissional”.

Ronaldo sempre foi fã de pôquer e apresentou o jogo para ex-colegas de Corinthians. Ele também costuma organizar pequenos torneios na sua casa em São Paulo e quando era jogador também promovia rodadas nas concentrações do time. A presença de ex-colegas de time como William, Paulo André e Julio Cesar é frequente até hoje.

Akkari passou a fazer parte dessas rodadas de Ronaldo no último ano. Ao contrário do que se pode imaginar, os valores apostados não são tão altos. Até mesmo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso já participou das rodadas de pôquer de Ronaldo. Normalmente o valores apostados nesses encontros não ultrapassam os R$ 500.  

"Já joguei na casa do Ronaldo e é muito divertido. São torneios pequenos, com média de nove pessoas e premiação simbólica. Cada um dá uma entrada de R$ 50 e paga suas fichas. Nada exorbitante. É bem simbólico mesmo", disse Akkari, que pelo título mundial em 2011 ganhou mais de R$ 1 milhão.

Paulo André e Ronaldo numa mesa de pôquer
Reprodução/Twitter
Paulo André e Ronaldo numa mesa de pôquer

"Joguei com o Paulo André e Julio Cesar e essa história de jogar dinheiro alto é coisa do passado. O jogo, quando não disputado de forma profissional, é uma confraternização, com muita conversa jogada fora. Às vezes estamos numa mesa e ficamos tão entretidos numa conversa que esquecemos do jogo", disse.

O zagueiro corintiano diz que Ronaldo costuma ser o mais empolgado, mas sem cometer loucuras. "(O valor) é simbólico apenas. O Ronaldo compra muitas fichas, mas sem cometer loucuras", disse Paulo André.

"Sempre busco entregar o meu melhor em tudo, no futebol e na vida. O pôquer é mais um desafio que me empolga: ler o jogo e os adversários e escolher o melhor caminho para vencer. Já há algum tempo venho descobrindo esse jogo de tantas habilidades e o André Akkari, o gênio da modalidade, tem sido meu mentor. Escolhi o PokerStars porque eles reúnem uma comunidade apaixonada pelo esporte e uma grande equipe de jogadores", disse Ronaldo por meio da sua assessoria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.