Tamanho do texto

Coordenador técnico da seleção brasileira usou exemplo do elenco da Copa de 1994, quando teve seus dois zagueiros titulares contundidos e cortados

Ricardo Gomes e Ricardo Rocha eram titulares incontestáveis da seleção brasileira para a Copa do Mundo de 1994, mas as lesões obrigaram o então técnico Carlos Alberto Parreira escalar dupla reserva atuar durante a campanha do tetra. Hoje coordenador técnico, o campeão mundial usa o exemplo de Márcio Santos e Aldair para estimular os jogadores que foram testados na goleada por 4 a 0 sobre a Bolívia.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Carlos Alberto Parreira na coletiva que apresentou Felipão como novo técnico da seleção
Gazeta Press
Carlos Alberto Parreira na coletiva que apresentou Felipão como novo técnico da seleção

Parreira relembrou o caso do Mundial nos Estados Unidos após ser questionado nesta segunda-feira sobre a lesão sofrida pelo centroavante Fred. Embora exalte o desempenho do camisa 9 no início da ‘Era Luiz Felipe Scolari’, quando marcou sobre Inglaterra, Itália e Rússia e ganhou confiança, o coordenador faz uma ressalva.

Leia mais: Fluminense confirma que Fred está fora da fase de grupos da Libertadores

"Ele aproveitou bem as oportunidades e criou uma ‘banhazinha’, um resíduo para poder se manter até que retorne. O importante é que ele jogue antes da Copa das Confederações para poder ser convocado. Foi o grande destaque na parte ofensiva, fez gols em todos os jogos, gols importantíssimo, mas temos que criar alternativas", alertou em evento realizado no Rio de Janeiro.

Relembrando as alterações emergenciais em 1994, Parreira valorizou a oportunidade dada por Felipão a nomes como Alexandre Pato, Leandro Damião e Leandro. Segundo ele, os jogadores considerados reservas têm de estar no mesmo nível dos titulares para assumir a responsabilidade durante a Copa das Confederações e a Copa do Mundo.

"Não podemos ficar dependendo de um jogador. Em uma Copa tem expulsão, contusão. É claro que vamos sentir falta dele, mas o Felipão poderá testar outros jogadores. Temos que definir os 11 reservas, que podem eventualmente entrar. Em 1994 perdemos dois zagueiros, menos mal que já tínhamos definido os outros. O trabalho visa definir o principal e o reserva. Esse jogo (contra Bolívia) foi para observar quem não teve chance de atuar em jogos do calendário Fifa, como Pato, Damião e Leandro", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.