Tamanho do texto

D'Alessandro foi empurrado pelo árbitro Fabrício Corrêa durante a partida do Inter no Gaúcho

D'Alessandro não evitou derrota do Inter para o Veranópolis
AI Internacional/Divulgação
D'Alessandro não evitou derrota do Inter para o Veranópolis

O diretor de futebol do Internacional , Luís César Souto de Moura, não colocou na arbitragem a culpa pela derrota do Colorado diante do Veranópolis, neste domingo. No entanto, fez uma dura crítica ao árbitro do jogo, Fabrício Corrêa, que afastou D’Alessandro de uma discussão com jogadores adversários arrastando o meia para fora do bolo de jogadores.

Internacional não supera retranca e perde para o Veranópolis fora de casa

"Foi um excesso do Fabrício. Ele não pode fazer isso: jogador não pode tocar em juiz e juiz não pode tocar em jogador. O árbitro pode apartar o jogador de uma briga por sua autoridade, não pela imposição física", apontou Moura.

O dirigente elogiou a atuação do Inter, apesar da derrota. "O time jogou melhor. Tivemos uma dominação expressiva durante toda a partida, mas o futebol é assim. Não conseguimos ser eficazes nas chances de gol. Depois dos 40, tivemos duas situações que não conseguimos converter", avaliou.

Perguntado sobre o nervosismo dos jogadores no segundo tempo, o diretor descartou que o clima interno do vestiário seja ruim: "o clima é ótimo. Mas esse grupo é muito competitivo e odeia perder. Os jogadores começaram a se irritar em campo por não conseguirem vencer o bloqueio armado pelo Julinho Camargo, técnico do Veranópolis", completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.