Tamanho do texto

Como só será possível trazer atletas do exterior para o segundo semestre, boliviano segue com a aprovação de Gilson Kleina

Marcelo Moreno está fora dos planos de Vanderlei Luxemburgo no Grêmio e, dois meses após ouvir o pai e procurador do atacante chamar o clube de "fracassado", o Palmeiras ainda cogita trazer o jogador. Como só será possível trazer atletas do exterior para o segundo semestre, já com a Série B do Brasileiro em disputa, o boliviano segue com a aprovação de Gilson Kleina.

Leia mais: Valdivia deve enfrentar Libertad, mas só faz metade dos jogos de abril

"O Marcelo Moreno é um grande jogador. Joga na seleção da Bolívia, no Grêmio, com uma qualidade indispensável. É inegável que ele faz gol, tem presença de área e sabe jogar", enalteceu o treinador, até minimizando as palavras do pai de Moreno, que devem dificultar o ambiente do jogador caso ele vista a camisa do Verdão.

Marcelo Moreno em ação pela Bolívia: ao menos a cor verde cai bem no atacante
Juan Karita/AP
Marcelo Moreno em ação pela Bolívia: ao menos a cor verde cai bem no atacante

"O pai dele deu declarações infelizes. Ele sabe o que significa o Palmeiras. Só é necessário entender se o Grêmio tem condição de liberá-lo e se ele quer vir trabalhar no Palmeiras", continuou Kleina, negando-se a revelar como estão as negociações, mas ciente de que o clube gaúcho não vetaria a transferência.

Na venda de Barcos, em fevereiro, um dos acordos estabelecidos entre Palmeiras e Grêmio era o empréstimo de Marcelo Moreno até dezembro ou, caso o jogador não acertasse, o Verdão teria direito a 35% do valor da negociação do boliviano se os gaúchos encontrassem outra equipe para ele.

No mês passado, o diretor executivo José Carlos Brunoro disse que para o Palmeiras, no momento, era melhor contratar alguém em condições de disputar a Libertadores, mas o que realmente tem afastado Marcelo Moreno do Verdão e de todos os outros times interessados é o seu alto salário.

Assim, sem conseguir pagar o que o Benfica pediu por Alan Kardec nem aceitar arcar com os salários de Amauri, brasileiro naturalizado italiano que joga no Parma, resta a Gilson Kleina escalar o garoto Caio ou Kleber, que tem decepcionado em campo e se machucado com constância.

"Estamos acompanhando todos os Estaduais e também a Copa do Brasil, que acabou de começar. Existem boas opções, mas hoje os clubes que se planejaram não pensam em se desfazer de alguns atletas", lamentou o treinador, reiterando que não basta contratar qualquer centroavante.

"No nosso planejamento, pensamos em jogadores com condição e experiência dentro do futebol brasileiro para jogar em uma equipe com o histórico do Palmeiras, de grande torcida. E quem vier precisa ter muita entrega e dedicação, como está fazendo quem está aqui", exigiu Kleina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.