Tamanho do texto

O zagueiro ficou com o pé preso no gramado, reclamou de dor e não viajou à Bolívia, onde o São Paulo enfrentará o The Strongest, nesta quinta-feira

Um carrinho dado no treinamento desta quarta-feira foi o que fez Lúcio torcer o tornozelo esquerdo. O zagueiro ficou com o pé preso no gramado, reclamou de dor e não viajou à Bolívia, onde o São Paulo enfrentará o The Strongest, nesta quinta-feira. Ainda nesta tarde, ele iniciou tratamento no Reffis, sob supervisão da fisioterapeuta Cilmara Moretti.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Em virtude do veto do departamento médico, Lúcio foi substituído por Rhodolfo entre os relacionados. Sua ausência, no entanto, não modifica a escalação inicial da equipe, já que a dupla titular de zaga vem sendo formada por Rafael Toloi e Edson Silva.

Leia mais: Ceni fará tratamento e teste para saber se enfrenta o Strongest

O camisa 3 perdeu espaço na rodada passada da Libertadores. Durante a partida contra o Arsenal, na Argentina, ele não gostou de ter sido substituído e externou sua insatisfação indo direto para o vestiário. Na volta ao Brasil, transferiu a responsabilidade da derrota ao técnico Ney Franco, dizendo que, quando deixou o campo, o placar "estava 0 a 0".

E mais: São Paulo viaja com três goleiros e sem Lúcio para a Bolívia

Dias depois da polêmica declaração, ele pediu desculpas e chegou a atuar novamente mais tarde, porém em ocasião na qual o grupo principal havia sido poupado. Segundo disse o treinador, na terça-feira, a desavença anterior foi sanada e não há mais nenhum problema com o jogador.

Veja também: Antes de estrear na Libertadores, Carleto renova até o fim de 2015

"O Lúcio treinou muito forte hoje (terça-feira), foi muito empenhado. Estamos agindo olho no olho com o grupo. Posso até cometer erros, mas tenho seguido critérios. Não posso sacar o Edson, que vem em um momento muito bom", explicou, no dia.

* com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.