Tamanho do texto

Técnico do Corinthians reconhece que demorou para mexer e por isso cedeu o empate ao Penapolense

Tite tomou para si a responsabilidade de mais um empate do Corinthians no Campeonato Paulista. Contra o Penapolense, no Pacaembu, o 1 a 1 foi o oitavo da equipe em 15 jogos do Estadual. Com oito titulares poupados, o time que levou a campo perdeu força no meio campo sem Ralf e Paulinho e cedeu espaços ao time do interior, melhor em boa parte do jogo.

Corinthians se acomoda e cede empate para o Penapolense no Pacaembu

Romarinho é desequilibrado no empate do Corinthians com a Penapolense
Fernando Dantas/Gazeta Press
Romarinho é desequilibrado no empate do Corinthians com a Penapolense

“Está na conta do técnico esse empate, ele poderia ter colocado uma consistência maior, mas não fez”, disse Tite, que viu o melhor momento do Penapolense e tentou reforçar o meio campo com Willian Arão no lugar de Jorge Henrique. Chamou o volante aos 25 minutos do segundo tempo, demorou para acioná-lo e sofreu o gol aos 29 minutos.

“ É o dilema do cara que decide. Talvez mudasse e o time tomasse o gol do mesmo jeito, mas hoje foi responsabilidade minha”, reconheceu. “Não fechei a faixa central do gramado e tomamos o gol por ali”.

Cássio, Alessandro, Gil, Ralf, Paulinho, Renato Augusto, Danilo e Alexandre Pato, titulares nas partidas da Libertadores, não jogaram nesta quarta-feira. Com um banco recheado de jovens, Tite teve poucas opções de mudança ao longo do jogo.

“Estou muito P da vida. Vou dormir mal, chutar parede. Mas a culpa hoje foi do técnico e isso tenho de reconhecer”, comentou. Domingo, contra o São Paulo, os titulares devem voltar ao time e, para Tite, mesmo com jogo na quarta-feira em Bogotá, contra o Millonarios pela Libertadores, a tendência é de forçar máxima.