Tamanho do texto

Após o apito final, o jogador mais velho do Palmeiras ficou completamente cabisbaixo com a goleada sofrida contra o Mirassol

Medina comemora seu gol na goleada história do Mirassol sobre o Palmeiras
CÉLIO MESSIAS / Gazeta Press
Medina comemora seu gol na goleada história do Mirassol sobre o Palmeiras

O capitão do Palmeiras nem tentou ‘enrolar’ a torcida. Fernando Pras ficou durante todo o jogo em Mirassol com olhos arregalados para os colegas, como se procurasse alguma explicação. Não encontrou e deixou o campo após a derrota por 6 a 2 dando entrevista com sinceridade: é impossível entender o que ocorreu na noite desta quarta-feira.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"O que aconteceu hoje aqui foi inacreditável. Nunca tinha presenciado nem visto uma situação dessas", afirmou o goleiro, sem nem tentar dar algum argumento. "Sinceramente, não tem explicação. Tudo que falarmos aqui vai ser para dar desculpa, para encher linguiça."

A incredulidade de Prass já era mostrada no intervalo, quando a equipe já perdia por 6 a 2 e o goleiro tinha feito duas grandes defesas para evitar uma goleada ainda maior na etapa inicial. "Não dá para explicar. Tem que ser reversível", dizia, ainda com esperança.

Leia mais: Kleina se nega a pedir demissão e fala em honrar o Palmeiras

Após o apito final, o jogador mais velho do elenco ficou completamente cabisbaixo. "Conseguimos o mais difícil, que é chegar perto no 3 a 2, mas o time do Mirassol estava em uma noite impressionante e nós, muito abaixo. Praticamente todas a bolas que o Mirassol tinha eles conseguiram concluir", lamentou.

Fernando Prass se esquivou sobre a situação de Gilson Kleina ao responder "isso não é comigo". Foi a única afirmação em que não se alongou. O capitão do Palmeiras foi o último a entrar nos vestiários. Sem esconder sua tristeza.