Tamanho do texto

Ex-goleiro palmeirense recordou a goleada sofrida para o Vitória por 7 a 2 e pediu para Fernando Prass não desanimar depois de derrota para o Mirassol

O ex-goleiro Marcos defendeu Prass após goleada
Gazeta Press
O ex-goleiro Marcos defendeu Prass após goleada

A goleada por 6 a 2 para o Mirassol levou o ex-goleiro Marcos a recordar alguns dos piores momentos de sua carreira no Palmeiras. Há um ano, o jogador pentacampeão do mundo deixava o gramado do Palestra Itália como o principal vilão da goleada por 7 a 2 para o Vitória. Já nesta quarta-feira, o ídolo alviverde acompanhou o vexame à distância e pediu para o seu substituto  Fernando Prass não desanimar com as críticas da torcida.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

A fim de se antecipar a qualquer reclamação sobre possíveis falhas de Prass na goleada sofrida no interior de São Paulo, Marcos utilizou o Facebook para lembrar os torcedores de que o Palmeiras não é composto somente por seu goleiro. O ex-jogador entende que a torcida não tem o direito de responsabilizar apenas um atleta e pediu para que todo o grupo seja lembrado da mesma forma neste revés.

Leia mais: Palmeiras toma 6 gols no 1º tempo e leva goleada histórica do Mirassol

"Sabe o que me irrita quando o time passa por uma vergonha (goleada) como hoje? É que o tempo passa e a única pessoa lembrada pelo vexame é o goleiro. Todos se esquecem dos outros que também jogaram a partida" Falo por experiência própria. Força, Prass", postou o ídolo, que, antes de se aposentar, também defendeu a meta do Verdão na goleada para o Coritiba, por 6 a 0, em jogo válido pela Copa do Brasil de 2011.

A irritação dos palmeirenses que foram até o estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol, pôde ser presenciada durante o segundo tempo da partida. A torcida não perdoou os remanescentes da campanha que levou o Verdão de volta à Série B e hostilizou os atletas nas arquibancadas. Os alvos preferidos eram os meio-campistas Wesley e Valdivia, que ainda não justificaram o milionário investimento feito em suas contratações.

Em São Paulo, a Polícia Militar já encaminhou uma patrulha para fazer vigia em torno da Arena Palestra Itália. A intenção é evitar qualquer pichação ou manifestação criminosa nos portões do estádio palmeirense. Com a ronda em torno do local, os integrantes das torcidas organizadas só deverão se pronunciar após a chegada do ônibus alviverde, prevista para a madrugada desta quinta-feira.