Tamanho do texto

Questionado sobre sua permanência no Corinthians, o comandante alegou que deseja ficar, quebrando uma política do futebol brasileiro de não manter o treinador por muito tempo

Tite conquistou a Libertadores e o Mundial de Clubes pelo Corinthians
AP
Tite conquistou a Libertadores e o Mundial de Clubes pelo Corinthians

O início do trabalho de Tite no Corinthians foi conturbado. Na Libertadores, a equipe do Parque São Jorge foi eliminada pelo Tolima antes da fase de grupos, gerando uma série de protestos da Fiel. Apesar do momento ruim, a diretoria alvinegra decidiu manter o treinador no cargo, depositando confiança em um trabalho a longo prazo. Ciente do que já passou no Timão, Tite não esconde sua gratidão a Andrés Sanchez.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Eu sou muito grato ao presidente Andrés, tem que ter muita coragem para bancar. Eu não seria campeão do mundo se uma pessoa corajosa não tivesse bancado a minha permanência", explicou o treinador ao programa Mesa Redonda .

Questionado sobre sua permanência no Corinthians, o comandante alvinegro alegou que deseja ficar, quebrando uma política do futebol brasileiro de não manter o treinador no cargo por muito tempo. "O projeto é de permanecer sim, para quebrar essa cultura do futebol brasileiro, mas vamos deixar as etapas acontecerem".

Leia mais: Depois de perder mais um jogador por lesão, Tite reclama do calendário

Feliz com o trabalho no Corinthians, o treinador explicou que tem à disposição uma equipe de qualidade, evitando um maior desgaste como comandante do Corinthians. "O técnico no Brasil é a vidraça, mas eu tenho um grupo de muita qualidade. Então, eu consigo dar um treino de qualidade para não ter que cobrar o tempo todo, pois isso gera um desgaste muito grande".

Convidado do Mesa Redonda , Sérgio, ex-jogador do Palmeiras, também elogiou o trabalho de Tite. O goleiro revelou que a demissão mais injusta de um treinador já vista em sua carreira foi justamente a do atual técnico do Corinthians, em 2006, quando Tite comandava o clube do Palestra Itália.

"Essa demissão me deixou muito triste, porque aconteceu muito rápido. Para nós jogadores, fica uma situação incômoda, pois tem um profissional ali e você sabe que está indo embora por uma coisa que nós jogadores poderíamos mudar".